VANGUARDA 59# (SIC R) - (16/09/2014)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

VANGUARDA 59# (SIC R) - (16/09/2014)

Mensagem por vlladmin em Qua 17 Set 2014, 07:06

COMBATE PRINCIPAL DA NOITE
GERALDO LEMOS & ANTÓNIO ANDRADE & TJ CROWE & JACOB FRANCO & HENRIQUE COELHO VS YURI PETROV & TIMÓ & ZÉ TÓ & CORVO & RYAN ANGEL 
COMBATE ELIMINAÇÃO
****

CAÍM EZEQUIEL VS SAMPAIO VS CHAZZ
ARSÉNIO VS DIOGO LOURENÇO VS PASCOAL
PELO TÍTULO INTERCONTINENTAL
TUBARALHO VS META BALDÉ
avatar
vlladmin

Número de Mensagens : 511
Data de inscrição : 30/08/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VANGUARDA 59# (SIC R) - (16/09/2014)

Mensagem por vlladmin em Qui 18 Set 2014, 09:26



EVENTOS EM DIFERIDO
TRANSMISSÃO NA ESPORTE INTERATIVO
COMENTÁRIOS DE LUÍS BARREIRA E DIOGO BEJA

% META BALDÉ VENCEU TUBARALHO

&&&

Passamos agora para uma sala de entrevistas, a câmara passa a imagem para o entrevistador, ele é nada mais nada menos do que Pedro Lombarda, este encontra-se de facto como habitual com um microfone na mão.

Pedro Lombarda: Olá a todos, o meu nome é Pedro Lombarda.. Hoje vou entrevistar um dos novos talentos da Vanguarda da luta livre, Diogo Valente

O lutador recém-contratado entra então em cena, o entrevistador ambos dão um aperto de mão. O setubalense encontra-se vestido normalmente, uns ténis Supra totalmente brancos, calças de ganga justas de cor normal e uma sweatshirt com letras brancas e um gorro também ele preto a combinar.. Pedro aponta em tão o microfone na direcção da boca de Diogo Valente

Diogo Valente: Olá Pedro, como é que estás? Quero dizer desde já que não poderia estar mais feliz em aqui estar, não sei quando vou ter o meu primeiro combate mas mal posso esperar, tenho treinado como nunca!

Pedro Lombarda: Sim, muito obrigado.. Posto isso, qual é o seu maior objectivo dentro da Vanguarda da Luta Livre enquanto lutador?

O lutador setubalense olha então para Pedro Lombarda e sorri como se aquela fosse uma pergunta óbvia e fácil de responder, no entanto o lutador pensa durante um pouco e durante a sua resposta mostra convicção na voz..

Diogo Valente: Vou viver um dia de cada vez, sabes? Eu tenho total convicção em mim, penso ser o melhor no que faço e quero provar a todos, quero ficar para vencer e quero dar aos fãs mais uma boa razão para verem a Vanguarda!

Diogo acaba então de responder e fica com um ar relaxado e sorridente enquanto espera então a próxima pergunta.

Pedro Lombarda: Achas que tens a experiência que é preciso para vingar dentro deste roster talentoso como é o da VLL?

Diogo Valente: Todas as carreiras tem experiências diferentes, eu já estou no wrestlig à muito tempo apesar de ser novo, tive os meus momentos altos e momentos também baixos, mas nunca estive numa empresa em que o nível de competitividade fosse assim tão elevado. Combati contra veteranos em Inglaterra com os quais aprendi muito e provei a muitas pessoas que nem sempre a força é tudo, podes ter força, mas se não a souberes usar não vale a pena, vou tentar usar essa experiência para meu beneficio.

Pedro Lombarda: Obrigado, vamos então avançar para a próxima questão.. Qual é são os nomes mais relevantes na empresa neste momento na sua opinião?

Diogo Valente: Essa é fácil, eu tenho acompanhado a Vanguarda à muito tempo e admirava muito a forma de agir dentro do ringue do Moore SD, o homem era dos lutadores mais técnicos na empresa, é bastante parecido comigo nesse aspecto e ambos gostamos de pensar e ser racionais sabes? É pena que não tenha sido visto nos últimos tempos por aqui, faz bastante falta. Depois também tenho na minha lista nomes como o de Diogo Lourenço, Cavaleiro que dão um grande espectáculo dentro do ringue e também gosto da paixão de Yuri Petrov. São do tipo de lutadores que sabem o fazem, admiro muito isso apesar de ás vezes as coisas não correrem da melhor maneira. É isto que tenho a dizer.

Pedro Lombarda: Tenho uma pergunta a ser feita... O que acha do rumo que a Vanguarda da luta livre está a mostrar querer seguir nesta nova fase da sua existência?

Diogo Valente: É bom, a mudança costuma ser uma coisa boa, para os telespectadores, fãs e pessoas que compram bilhetes não estarem sempre a ver o mesmo ou parecido, um novo presidente que pode continuar a fazer desta uma das melhores federações da Europa, uma equipa atrás da cortina também muito boa que deve ser respeitada e todo o roster de bastante qualidade que temos a oportunidade de ver em acção quase todas as terças-feiras.

Pedro Lombarda: Muito obrigado pela entrevista ao universo da luta livre. Foi tudo por agora, até para a próxima!

A imagem acaba então por desvanecer o que dá final ao spotlight que o lutador obteve esta pequena entrevista. Caminhamos então para o primeiro intervalo.

&&&


% Arsénio Fuínha venceu Diogo Lourenço. (O Público esteve desmotivado por o título não estar em jogo)

&&&

A imagem passa agora para a entrada do escritório de Carlos Salazar. Podemos ver algumas fotografias com momentos da VLL, algumas plantas e uma mesa onde o secretário Lopes trabalha. Por entre o som das teclas do computador de Lopes e o do folhear das folhas, começa-se a ouvir o barulho de um grupo de pessoas a aproximarem-se. Cada vez mais alto.

???: Hoje ele não foge!

Lopes repara que um grupo de pessoas se aproxima e levanta-se para tentar detê-las.

Lopes: Mas o que vem a ser isto?! Não podem entrar aqui desta maneira!

???: O Salazar está aqui, não é?

Era Pascoal que tentava entrar no escritório do supervisor-geral, e trazia consigo a sua trupe de ciganos. O lutador, equipado com uma camisa com efeito de leopardo e uns óculos de Sol, trazia o título Intercontinental à sua cintura enquanto o resto dos ciganos traziam alguns utensílios do dia-a-dia como colheres de pau, rolos da massa, sacholas, até mesmo uma chumbeira, que usavam para ameaçar o Sr. Lopes.

Lopes (assustado): Está mas vocês não podem entrar assim desta maneira. É preciso ordem…

Pascoal: De ordem precisa o Salazar! Para andar a gozar comigo não pode andar bom da cabeça!

Pascoal empurra Lopes e prepara-se para entrar no escritório do supervisor-geral. Lopes tenta impedi-lo mas é agarrado pelo grupo de ciganos. O secretário tenta livrar-se das garras dos ciganos mas é ameaçado pelo cigano que trazia a chumbeira.

Agora sem nada no seu caminho, Pascoal abre abruptamente a porta do escritório de Carlos Salazar. O supervisor-geral levanta-se surpreendido e assustado.


Salazar: Mas o que vem a ser isto?!

Pascoal aproxima-se rapidamente da mesa de Salazar, retira o título Intercontinental da sua cintura e bate forte com ele na mesa.


Pascoal: Chega de brincadeiras, Salazar! Quando me convenceste a entrar na VLL disseste-me que havia ouro da melhor qualidade! E eu vi esse ouro no “Grande Zero”! Porque é que me deste esta imitação!

Salazar: Vamos lá ter calma! Fecha a porta e vamos negociar a renovação do teu contrato…

Pascoal: Mas qual contrato?! Enganaste-me! Quando alguém engana um cigano, não fica livre das consequências! Ou das o ouro que eu vim à procura ou vais sentir na pele!

Salazar: Mas eu neste momento não te posso dar ouro nenhum…

Pascoal: Chega! Toninho, passa para cá a chumbeira!

Salazar: Ok, ok, eu posso dar-te o que tu queres! Fecha a porta e vamos falar os dois!

Pascoal troca olhares com o cigano Toninho e decide fechar a porta e discutir a renovação do seu contrato com Carlos Salazar. Salazar senta-se, limpa o suor que lhe escorre pela testa e convida Pascoal a sentar-se. Pascoal acalma-se e fala lentamente para Pascoal.

Salazar: Bem, neste momento o título de Pesos Pesados está numa situação complicada e atribulada. Não posso simplesmente entregar-to a ti.

Pascoal levanta-se e prepara-se para ameaçar Carlos Salazar.

Salazar: Acalma-te! Tenho boas condições para ti! Ouve até ao fim.

Pascoal volta a sentar-se e fita com atenção uma fotografia que está pendurada na parede atrás de Salazar.

Salazar: Bem Pascoal, sabes que o teu contrato dizia que podíamos renovar contigo ao fim de três combates. Como és o campeão Intercontinental temos todo o interesse em continuar com os teus serviços por isso podemos oferecer-te uma boa quantia.

Pascoal: Eu não quero saber do dinheiro, o meu negócio sério é vender na feira! Eu quero é aquele ouro mais encantador que vi na vida!

Salazar abre uma gaveta e tira de lá um papel.

Salazar: Olha Pascoal, este é o contrato que temos para ti…

Pascoal observa o que está escrito no papel e arregala os olhos em forma de espanto.

Pascoal (desabafando sem que Salazar ouça): Foda-se, tanto?!

Salazar (sorrindo para Pascoal): Então, é do teu agrado?

Pascoal fica um pouco atrapalhado e começa a suar.

Pascoal (com a voz tremida): Acrescenta mais um zero!

Salazar: M… mais um zero?! Assim não te chega?! (agora falando baixinho para si) Foda-se, gastar tanto dinheiro com este cigano… Se não recuperar o título estou tramado! Que presidente deixa que um cigano lhe leva um dos títulos da sua federação?

Pascoal: Não querias o título Intercontinental de volta?

Salazar sente que não tem outra opção e acrescenta, reticente, mais um 0 ao salário proposto a Pascoal.

Salazar (nervoso): Ahah, já está! Tudo bem entre nós novamente…

Pascoal: Calma aí! Ainda tenho mais quatro condições…

Salazar faz “facepalm”.

Pascoal: Primeira: Quero livre acesso à zona mais restrita do parque de estacionamento…

Salazar: Não posso fazer isso, os maiores investidores deixam lá os seus veículos…

Pascoal: Não quero saber das tuas razões! Quero acesso a essa parte do parque! As gorjetas lá são maiores…

Salazar: Bah, ok!

Pascoal: Segunda: Quero que me prometas que não me vais impedir pelo título de pesos pesados.

Salazar: Ok. As próximas…

Pascoal: Quero uma cláusula de rescisão para o caso de me despedires assim que recuperares o título Intercontinental.

Salazar: Eu nunca te faria isso…

Pascoal: E a última: quero aquela jóia ali.

Pascoal aponta para a fotografia que se encontrava na parede atrás de Salazar. Era uma fotografia normal de uma mulher.

Salazar: O anel que eu dei à minha mulher pelos 25 anos de casamento?!

Salazar levanta-se zangado da cadeira e começa a gritar com Pascoal.

Salazar: Mas tu és doido?! Se faço isso a minha mulher mata-me! Se não fosse pela imagem que isto ia deixar de mim aos investidores, tu já estavas lá fora a mendigar! Se eu perco um dos símbolos da VLL para a merda de um cigano, perco toda a credibilidade e a VLL acaba!

Pascoal olha espantando enquanto ouve o discurso de Salazar. O presidente da VLL acalma-se e acaba por se voltar a sentar, sorrindo para o cigano.

Salazar (sorrindo): Ok, podes assinar…

Pascoal assina o seu novo contrato e levanta-se para apertar a mão de Salazar. Nota-se a tensão que existe entre os dois que enquanto sorriem, apertam a mão um do outro com bastante força. Pascoal acaba por se retirar e leva consigo o título Intercontinental.

Salazar: Estupor do cigano… Não perdes pela demora! Na próxima semana enfrentas alguém que tem contas a ajustar contigo!

Salazar dirige-se à saída do seu escritório.

&&&

% Caim Ezequiel venceu Chazz e Sampaio

% O Main-Event não se desenrolou pois os envolvidos acabaram em disputas antes do mesmo começar oficialmente. Henrique Coelho saiu por cima no final.

A imagem muda agora para os balneários da VLL, onde está Zé Maravilha acompanhado do seu camara man. Zé não parecia estar muito contente, mas o mesmo não parava de andar pelos corredores a procura de algo ou alguém.

Maravilha (refilando): Porra, calha-me sempre a mim entrevistar este lunático. Eles têm o Lamborda, mas não, vamos mandar o Zé para que este seja ainda mais ameaçado e fazer ainda mais figura de parvo. Eles querem é verem os outros fazer figuras para terem audiências…

Camara man( sussurrando): Zé, cala-te, estamos no ar…

Maravilha (irritado): E SÓ AGORA É QUE ME AVISAS!

Ouve-se gargalhadas do público da Vanguarda que está a assistir a isto tudo através do ecrã gigante colocado na arena.

Maravilha (acalmando-se): Bem, vamos lá nos acalmar… Boa noite, telespectadores! Eu hoje vou, tentar, entrevistar o antigo campeão da Vanguarda, Diogo Lourenço. Isto se o encontrarmos claro.

Zé continua a percorrer os corredores, abrindo porta por porta, a ver se conseguia encontrar o campeão mais novo de sempre da Vanguarda da Luta Livre.

Maravilha: Relembro aos espectadores que Diogo esteve agora mesmo num combate pelo Titulo Intercontinental, combate este que Diogo perdeu.

Finalmente, depois de algum tempo a procura, Zé encontra Diogo Lourenço, acompanhado do seu treinador, Raul Leviátes. Zé para um pouco, olhando para os dois no fundo do corredor, como que com medo, mas este ganha coragem e dirige-se aos dois.

Maravilha (um pouco amedrontado): Boas noites, Diogo e Sr. Leviátes. Espero não incomodar mas, posso fazer apenas umas perguntas.

Diogo estava sentado numa cadeira de metal, pondo gelo em algumas partes do corpo que estavam mais doridas, enquanto Raul estava em frente dele dando-lhe um sermão. Os dois ignoram Zé Maravilha, mas este insiste.

Maravilha: Diogo, pode-me dizer o que sente depois desta derrota?

Neste momento, Raul Leviátes olha com desdém para Zé. Num movimento brusco e agressivo, Raul joga a mão ao pescoço do entrevistador da Vanguarda da Luta Livre e encosta-o a parede.

Raul: O que é que nós já te tínhamos dito? Nós não queremos ser incomodados por pessoas como tu! Jornalistas que apenas sabem incomodar as pessoas, perseguindo-as nos momentos mais inoportunos e levando estas a insanidade mental! Da última vez eu quase que te matava, mas dei-te uma oportunidade, mas desta vez, eu vou mesmo dar cabo de ti, seu insecto!

Raul pega na sua bengala e prepara-se para agredir fisicamente Zé Maravilha com ela, mas Diogo interrompe o assalto, metendo o braço a frente de Raul. Estes dois olham nos olhos um do outro, Diogo bastante sério e Raul um pouco confuso.

Diogo (cansado): Hoje não, Raul. Hoje, eu tenho algo para dizer a esta pulga. Outro dia, vingas-te nele, mas hoje, ele vai-me ser preciso.

Raul aceita a decisão de Diogo, largando Zé Maravilha e afastando-se um pouco dele. Zé, que antes estava a borrar-se de medo, tenta recompor-se para tentar entrevistar, mais uma vez, Diogo Lourenço.

Maravilha: Ok, Diogo. Como eu estava a dizer, o que…

Diogo (interrompendo): Não, Zé. Se me vais entrevistar, vai ser a minha maneira. Eu não vou responder as tuas perguntas. Vou sim dizer aquilo que eu tenho a dizer. Por isso, segura-me esse microfone como deve ser e tu *apontando para o camara man* filma tudo!

Diogo fica calado por uns segundos, pensando bem naquilo que ia dizer. Finalmente, o mesmo respira fundo e começa a falar.

Diogo: Sabes, Zé, é verdade. Eu perdi o combate pelo Titulo Intercontinental. Eu perdi uma oportunidade de, mais uma vez, ganhar ouro… ouro secundário. Eu já tive um título daquelas dimensões, à um ano atras. Passou um ano e os directores da Vanguarda da Luta Livre acham que eu não evolui o suficiente para sair da luta do Titulo Secundário.

Zé: Devo relembrar-lhe que a Vanguarda da Luta Livre mudou duas vezes de administração desde que o Diogo foi Campeão da Vanguarda.

Diogo: Não me interessa, Zé. Todos vêm com promessas de mudança. Todos chegam aqui prometendo que tudo irá mudar e teremos uma Vanguarda diferente. Mas a verdade, Zé, a verdade é que as moscas mudam, mas a merda é sempre a mesma. Novas caras, mas os ideais são sempre os mesmos. Novas caras, mas as promessas são sempre as mesmas. Novas caras, e as acções são sempre as mesmas. Nos últimos meses, antes de tudo isto acontecer, antes de mudarmos, mais uma vez, de Administração, por duas vezes, DUAS VEZES, eu ganhei o direito de lutar pelo Título Supremo, que é o equivalente, hoje em dia, ao Título de Pesos-Pesados. Eu tive o direito de lutar por ele por duas vezes e, sabes quantas vezes eu o fiz? Zero! Zero foram as vezes que eu lutei pelo Título Supremo nos últimos meses, quando eu tinha direito a Duas oportunidades por ele.

Diogo está a começar a exaltar-se, ficando a sua cara cada vez mais vermelha e a sua respiração mais forte.

Diogo: Primeiro, foi porque o coitado do campeão na altura, o senhor Michael Bangalter, lesionou-se e teve que se retirar, deixando o Título vago. Assim, segundo pessoas, a oportunidade que eu tinha ganho legitimamente num combate de determinação do próximo candidato ao título, ficava anulada. Algum tempo passou e recebi mais uma oportunidade pelo título, em compensação à outra que não me foi dada. Mas, passado pouco tempo, a VLL foi comprada pelo grande Carlos Salazar e tudo o que tinha acontecido antes, todo o passado da VLL, foi completamente ignorado e começou-se numa “nova era”. Mais uma vez, a oportunidade pela qual eu tinha batalhado tanto, escapou-me pelas mãos.

Raul coloca a sua mão em cima do ombro de Diogo, como que tentando acalmar este. Zé Maravilha continuava a segurar o microfone, tentando captar tudo o que Diogo dizia.

Diogo: Zé, muitas pessoas perguntam-me porque é que eu mudei a minha atitude. Porque é que eu assumi esta posição mais sombria e mais “degradante”. Sabes porque, Zé? Porque eu perdi a esperança nas pessoas. Eu perdi a esperança no mundo e perdi a esperança de que o meu trabalho fosse recompensado. Eu não acredito mais que existam pessoas boas, Zé. Todos nós temos o nosso lado “menos bom”. Todos nós temos os nossos podres. Todos nós temos os nossos pecados. Uns sabem esconde-los melhor, outros não se importam de os mostrar perante toda a sociedade. Mas todos, todos têm os seus pecados! Tu, de certeza que tens os teus segredos sombrios. Talvez, uma noite, tenhas bebido a mais e tenhas feito coisas que não querias com pessoas que não querias. Ou talvez até querias, mas o podias fazer.

Diogo fica um pequeno sorriso na cara, como que gozando de Zé Maravilha, mas rapidamente volta para a postura séria que tinha.

Diogo: Por melhores que as pessoas sejam, por mais boas que elas aparentem ser, todos nós temos um lado sombrio. Exemplo disso é o antigo campeão Supremo, Vinicius Nunes, que era o ídolo de todos os jovens e um modelo a seguir. Mas assim que viu a oportunidade, virou as costas a todos os seus fãs e agora anda a orientar um jovem sedento de violência. E e o Vinicius somos parecidos em alguns aspectos. Eramos bonzinhos para as pessoas. Fazíamos as coisas sempre a pensar nos outros. Mas assim como o Vinicius, eu abri os olhos e vi toda a merda que existe nesta companhia.

Diogo cospe para o chão, em sinal de desprezo pela Vanguarda.

Diogo: Eu vou continuar a lutar. Eu vou continuar a entrar naquele ringue sempre que o meu nome aparecer naquele cartaz. Mas agora, se vou continuar a dar o espectáculo que dava antes? Se vou-me esfolar cada vez que entro naquele ringue como fazia antes? Nem perto disso. Eu vou voltar a ser cabeça de cartaz desta companhia, isso podem acreditar. Mas se tiver que usar outros métodos, se obrigarem-me a isso, não vou ter outra escolha!

Diogo Lourenço pega no saco de gelo que tinha deixado em cima da cadeira, coloca-lo no pescoço e começa a sair de cena juntamente com Raul Leviátes, deixando apenas Zé Maravilha na imagem.

Maravilha: Bem, e estas foram as palavras de Diogo Lourenço. Palavras bastante fortes, por acaso.


****


Luís: E estamos de volta ao ringue, desta vez não para ter um combate ou competição física, mas sim para um anuncio bastante importante do nosso querido Presidente… Carlos Salazar.

A imagem que focava a mesa de comentadores passa para o ringue de imediato onde o Presidente já se encontra com um microfone em punho.

Beja: Vamos lá ver o que acontece, muito se falou nas redes sociais sobre Cavaleiro e o seu escanda-lo e finalmente teremos palavras finais sobre o assunto, pelo menos dentro da Vanguarda da Luta Livre!

Salazar: Boa noite a todos mais uma vez, agora chegou a hora que todos nos esperávamos, talvez mais uns que outros, mas que é importante refletir sobre os actos realizados pelo nosso lutador e campeão de Pesos-Pesados Cavaleiro. No dia em que venceu o título o jovem acabou por estar envolvido em ações que qualquer federação e organização condenaria, no entanto aqui na VLL tentamos entender o assunto até ao fim.

O público parece concentrado nas palavras do Presidente, tentando perceber o que irá acontecer.

Salazar: Agora que já averiguamos todos os possíveis resultados desta confusão toda chamo ao ringue Cavaleiro!

RAZOR COLOCA A THEME E O CARAÇAS DO CAVALEIRO, SE ISTO FOR ASSIM PARA O SHOW É PORQUE NEM SEQUER LESTE O SEGMENTO.

Cavaleiro aparece no stage com umas calças de ganga bem gastas já e uma camisola preta de um antigo lutador da Vanguarda da Luta Livre, Daniel Lobo. O título de Pesos Pesados encontra-se na sua cintura e o mesmo parece ter uma atitude bastante calma ao descer a rampa. O público divide-se em apupos e silêncio.

Salazar: Força Cavaleiro, podes entrar no ringue.

Luís: Este bandido vai ter o que merece e vai ficar sem o título!

Beja: Vamos ver o que acontece aqui e agora Barreira, ainda é cedo para falar, mas os rumores indicam que sim, que o título de Pesos-Pesados vai ficar vago.

O campeão entra no ringue e recebe um microfone da mão do Presidente.

Salazar: Alguma coisa a dizer Cavaleiro?

O mesmo faz uma pequena pausa e coloca-se mais de frente olhando diretamente para as câmeras.

Cavaleiro: Nada irá dar descanso ao meu erro dentro de mim mesmo, eu a Jéssica já namorávamos desde finais de 2010 e por mais curioso que pareça a minha história, como a conheci digamos assim, foi quando a salvei de um ataque de um ex-namorado na rua.

Cavaleiro olha para o chão e sorri lembrando provavelmente os bons tempos.

Cavaleiro: Vocês lembram-se de João Lopes certo? Bem… Eu conheci-o muito antes de vocês provavelmente. O primeiro Supervisor-Geral da Vanguarda encontrou-me a viver nas ruas de Lisboa e perguntou-me se eu não queria começar a treinar isto. Quatro anos depois torno-me campeão de Pesos-Pesados da VLL e destruo a minha vida. Calma pessoal, que eu não estou aqui para procurar a redenção, isso para mim já não existe.

O público cala-se todo e a voz de Cavaleiro até eco faz na Arena.

Cavaleiro: João Lopes, que agora está proibido de entrar num ringue da VLL, tornou-me um monstro para esta modalidade e fez-me prometer que eu iria destruir a Vanguarda da Luta Livre quando tivesse aqui, depois de ter sido despedido. Eu já desprovido de emoções tentei fazer isso mesmo, mas isso nada tem haver com o ataque que fiz à Jéssica. Peço imensas desculpas mas a minha cabeça estava virada do avesso… Ainda assim vejo-me na obrigação de cumprir a minha suspensão e entregar isto…

Cavaleiro retira o título de Pesos-Pesados da cintura e olha para ele, já segurando-o nas mãos. O mesmo coloca-o em frente as mãos de Salazar até que…

EU LI

Beja: Não pode ser!

Luís: Carlos Salazar tinha afirmado ao longo desta emissão a todos os lutadores que não queria ninguém no ringue por esta hora!

Beja: E Henrique Coelho aparece depois de um combate brutal que teve!

Luís: Isto chama-se audácia!

Salazar: O que fazes aqui Coelho?

Salazar bastante furioso quase que se atira para fora do ringue.

Henrique: Amigo Salazar… Amigo Salazar! Sei bem o que tinha dito para mim e para outrens. Mas não consigo parar de enriçar com estas palavras de Cavaleiro! Apesar de eu ainda ter uns assuntos pendentes com outrens lutadores vim aqui declarar que esse título que ele está agora a entregar será meu!

O público começa a vaiar as palavras de Henrique Coelho, Salazar pega no título de Pesos-Pesados enquanto Cavaleiro se encosta mais para trás.

Henrique: Esse naião que se encontra no ringue bateu numa rapariga tão bela e vocês vaiam a mim? O vosso herói Açoriano? As patas dele provavelmente ainda estão sujas da pobre rapariga! Ele é o vilhão! Ele é como vocês dizem um egoísta de primeira.

Cavaleiro começa a verver e tira a camisola, o público vê Cavaleiro a sair do ringue e começa a gritar.

Henrique: Finalmente uma reação positiva para a Sensação Açoriana e próximo campeão de Pesos-Pesados!

Beja: Acho que não era boa altura para Henrique Coelho virar as costas… Cavaleiro sobe a rampa e dá-lhe um soco pelas costas.

Luís: O mesmo falso de sempre!

Beja: Mas tu não o apoiavas?

Luís: Não apoio gajos que batem em senhoras…

Beja: Cavaleiro continua aos socos com Henrique que leva mais do que dá! Cavaleiro empurra-o agora pela rampa abaixo em direção ao ringue! Salazar não se mexe!

Luís: O presidente parece que está a gostar, mas eu não! Alguém que salve o Henrique!

Beja: Ele foi o único tolo que teve coragem de entrar no ringue nesta altura! Mais ninguém se quer meter com o Cavaleiro e muito menos com o Salazar nesta altura!

Luís: Mas parem isto! Cavaleiro está descontrolado! Ele arranca o fato de treino de Coelho com um simples movimento.

Beja: Henrique está na posição do Inverted DDT… Mas consegue escapar, German Suplex em Cavaleiro que vai ao chão, mas ele levanta-se logo! Henrique não quer acreditar e sai do ringue.

Cria-se um clima de tensão bastante grande entre Henrique e Cavaleiro, este último pega no microfone que anteriormente tinha atirado ao chão e dirige-se a Salazar.

Cavaleiro: Desculpa mas não vai dar para entregar o título e ser suspenso. Coloco toda a minha vida em jogo quando quiser para ter um combate contra Henrique Coelho… Com o título em jogo, na estipulação que ele quiser!

Cavaleiro retira o título das mãos de Salazar, que parece ficar furioso.

Cavaleiro: Até lá…

Cavaleiro volta a atirar o microfone para o chão enquanto Henrique Coelho olha do topo da rampa.

Salazar: Onde é que pensas que vais? A quem pensas que te estas a dirigir? Volta aqui…

Luís: Que falta de respeito. E agora sai pelo público que também se torna um vira casacas apoiando Cavaleiro.

Beja: O que posso reter é que teremos um excelente combate na minha opinião, caso aconteça, entre Cavaleiro e Henrique Coelho!

Luís: Já começa em rodapé os créditos. Bem-vindos à SIC Radical pessoal da Vanguarda da Luta Livre.
avatar
vlladmin

Número de Mensagens : 511
Data de inscrição : 30/08/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum