VANGUARDA 29# (RTP2) - (29/10/13)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

VANGUARDA 29# (RTP2) - (29/10/13)

Mensagem por vlladmin em Qua 23 Out 2013, 08:43


PAVILHÃO DA VANGUARDA DA LUTA LIVRE, LISBOA

COMBATE PRINCIPAL DA NOITE

ANTÓNIO ANDRADE vs. MOORE SD


*****

ARSÉNIO FUÍNHA vs. PHILLIP HUNT
YURI PETROV vs. ALBERTO VALENTE
SOGUN MADDEN vs. CAIM EZEQUIEL
avatar
vlladmin

Número de Mensagens : 511
Data de inscrição : 30/08/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VANGUARDA 29# (RTP2) - (29/10/13)

Mensagem por vlladmin em Qua 30 Out 2013, 06:42

A emissão abre no Parque de Estacionamento em frente à Arena da Vanguarda. Carros por todo o lado, de todas as cores, formas e feitios, projectam sombras em todas as direções. A silhueta de um homem avança pelo meio desta selva de metal colorido e vidro, caminhando vagarosamente pelo corredor de circulação em direção ao camaraman, assobiando de um forma estranhamente familiar. A cada passo que dá o enquadramento da câmara vai fechando dinamicamente neste vulto, tornando-se quase clautrofóbico. Nota-se o tremer do operador na imagem.

A meia duzia de passos de distância passa a notar-se claramente que se trata de Aníbal Fragas. Este fala para a câmara com um tom de voz cínico e uma expressão facial a condizer.


Aníbal Fragas: Boa noite público da Vanguarda. Se calhar achavam que vos tinham trocado as voltas e posto um filme de suspense em vez deste anticipadissimo Vanguarda 29 que agora começa… Não, sou só eu, o candidato ao Título Supremo, aquele a que a imprensa desportiva designa por “a Sombra da Vanguarda”, “o Anjo Caído em Desgraça”, “o Animal Raivoso”, Aníbal Fragas.

Um sorriso mordaz surge nos seus lábios.

Fragas: Vêem como a Vanguarda começou já a mudar nas mãos do Senhor Produtor Executivo Augusto Lousada? O nível de produção, a estética, a controvérsia, a imprevisibilidade… Tudo pode acontecer na Vanguarda. Tudo é possível, ninguém está a salvo. Especialmente de mim.

Fala com um tom de voz jovial, quase trauteando as palavras.

Fragas: Toda a gente viu o que aconteceu até aqui. Este individuo à vossa frente, que nunca este envolvido com o mundo do Wrestling Profissional, não apenas levou o Campeão Supremo da Vanguarda, Vinicius Nunes, para um empate na sua estreia no Vanguarda 26, como destruiu o seu primo António Andrade, antigo Campeão da Vanguarda, no segundo combate que teve na sua vida inteira. Quem não apostaria em Aníbal Fragas para ser o novo Campeão Supremo? Quem não quer ver Aníbal Fragas com aquele título?

Endurece a expressão. O tom de voz endurece.

Fragas: Eu digo-vos quem não quer nada disso. Eu. Aníbal Fragas. Sabem o que eu quero? Quero não ter de recitar o que o Augusto Lousada me escreve para dizer. Mas tenho de dizer isto tudo letra por letra, cada página de texto que me foi entregue está carimbada pelo tribunal, tem de ser dita sobre pena de esta liberdade tutelada se esfumar para sempre. Assim como as minhas acções, tenho de obedecer ao que está escrito no papel.

Um suspiro glaciante… Seguido de palavras viperinas.

Fragas: Portanto o que eu quero, voltando ao guião, é o Vinicius Nunes. Mas posso dizer com total sinceridade que agora quero mesmo. Sabem porquê? Porque me enervou profundamente no Vanguarda Deluxe.

Aproxima-se da câmara com um olhar maligno.

Fragas: Apesar de tudo o que se diz de mim, nunca ninguém se atreveu alguma vez a dizer que eu alguma vez apareci no relvado sem estar completamente focado no jogo. Bem ou mal, com todas a minhas falhas, sempre cumpri com o que era esperado de mim. E o que eu vejo é um campeão que fala sobre tudo. Um campeão sem fogo, um campeão que fala de vitórias contra outros para esconder o facto que foi brutalizando por um estreante. Um verdadeiro campeão não é brutalizado por um estreante Vinicius, seja ele quem for.

Contínua de forma implacável.

Fragas: Ele é comentar alunos na ANW, ele é falar da vida do primo, ele é com a noiva, ele é com os negócios, é com o MMA, é com isto e aquilo. Estás em todo o lado ao mesmo tempo Vinicius, mas não estas em nenhum com os pés bem acentes. O Vinicius que demoliu o primo no Dinastia de Campeões, que venceu o Straight Johny pelo Título Supremo, esse Vinícius não era apanhado à traição pelo Moore SD e passava um combate todo a lutar contra a maré. Não, esse Vinicius nunca se deixava apanhar por ninguém

A Sombra da Vanguarda parece um cão de fila no seu discurso, sem largar a presa um segundo.

Fragas: Sabes o que tu és Vinicius Nunes? És como o Rocky Balboa no inicio do Rocky 3, um lutador marcial a brincar ao wrestling, prestes a perder tudo. E eu sou como o Mr. T: focado, raivoso, com todo o desejo do mundo de te furar a cabeça de um lado ao outro com um biqueiro. Eu tenho o olho do tigre, tu não.

Fragas solta um riso quase infantil.

Fragas: E no meio disto tudo temos um produtor executivo cheio de vontade de fazer tudo para ter audiências. Esta história não vai acabar bem para ti Vinicius Nunes. Este jogo de xadrez interminavel que ele anda a jogar com todos nós pode acabar de qualquer forma, mas no Vanguarda 30 vai acontecer um cheque do cavalo ao rei.

Olha seriamente para a câmara, com uma expressão preocupada.

Fragas: E para não ser cheque-mate é porque algo vai ser sacrificado, algo vai ficar pelo caminho Vinicius Nunes. Um peão, um bispo ou mesmo uma rainha... Estás disposto a sacrificar o que te é querido por esse título? Ou será que eu tenho razão e o título não representa assim tanto para ti?

Fala com um tom assustadoramente emotivo.

Fragas: O Lousada está disposto a sacrificar-me e eu tenho de sobreviver Vinicius, a minha missão desde o segundo em que acordo até que adormeço de novo é sobreviver. Eu só tenho uma saída, que é atravessando pelo meio de ti Vinicius. Por isso pergunto-te mais uma vez, o que estás disposto a sacrificar Vinicius Nunes?

Fragas exibe a mesma perturbante expressão de pena que já lhe vimos antes.

Fragas: Mas eu vou ser misericordioso contigo, vou fazer-te uma promessa. E a minha promessa para ti é a mesma do Mr. T para o Rocky: Dor. Está nas tuas mãos escolher de que tipo.

Uma expressão de alivio. Acabou...

Fragas: Até ao Vanguarda 30 Vinicius Nunes. Aproveita cada segundo que ainda tens com esse título… Aproveita...

*****

Um vídeo com vários minutos é emitido. Este destaca os acontecimentos mais relevantes na última edição da Vanguarda, a vinte e oito. Num primeiro momento o homem em destaque é o campeão da Vanguarda, Diogo Lourenço, que derrotou Reinado Unas com facilidade. Também com muita clareza e rapidez foi Toni Queijadas derrotado pelo norte-irlandês Darren Keane. Estando ambos a precisar duma vitória para solidificar o seu estatuto dentro da federação foi Henrique Coelho a obter uma vitória sobre Rob Este, tendo Alberto Valente um chocante comunicado para fazer no final da contenda. Os Parceiros de Guerra conseguiram uma vitória previsível e também muito importante. Nos combates mais relevantes da noite, Aníbal Fragas venceu o brasileiro António Andrade e o campeão Supremo Vinícius Nunes derrotou Moore SD pela segunda vez, no terceiro combate entre eles. O evento terminou com o novo supervisor geral da Vanguarda da Luta Livre, Augusto Lousada, a anunciar um embate entre Nunes e Fragas pelo título Supremo na trigésima edição da Vanguarda.


Fogo de artifício no pavilhão da Vanguarda da Luta Livre! O fogo de artifício espalha-se pela zona superior da rampa de acesso ao ringue onde quatro combates irão realizar-se à moda da Vanguarda! O público reage muito bem a esta pequena introdução, depois de Aníbal Fragas abrir mais um evento semanal da federação de wrestling portuguesa..

Luís Barreira: Olá, muito boa noite a todos os telespectadores da RTP2! E a nossa saudação ao Luxemburgo que também nos vê em direto! O meu nome é Luís Barreira e hoje levamos até vossa casa mais um evento fantástico da Vanguarda da Luta Livre! Aos poucos nos aproximamos daquele que promete ser um dos eventos do ano, a Vanguarda trinta!

Diogo Beja: Sem dúvida alguma Luís. O trabalho diário vai aumentando de carga e aos poucos os preparativos vão sendo ultimados para essa que promete ser uma grande festa no pavilhão da Vanguarda da Luta Livre.

Luís Barreira: Importante referir que hoje, tal como na semana passada, teremos Augusto Lousada na mesa de comentadores. Seja muito-bem vindo!

Augusto Lousada: Olá a ambos e a todos aí em casa, como já tive oportunidade de dizer o prazer é todo meu. Estou com vocês na batalha para tornar a Vanguarda no programa mais excitante de sempre na televisão pública portuguesa.

Luís Barreira: Com a sua ajuda não vejo porque não!

Diogo Beja: E hoje teremos o primeiro evento com combates exclusivamente marcados por si, sr. Augusto Lousada. É o primeiro evento em que exerce este tipo de funções. Tecnicamente vá. Em que se baseou para este cartaz?

Augusto Lousada: Neste momento, talvez mais do que nunca, a federação precisa de promover o seu produto mais importante: a pancadaria, o wrestling, a ação. É por isso que na noite de hoje irão ter lugar naquele ringue quatro excitantes combates com desfechos pouco previsíveis.

Diogo Beja: Ou seja, previligiando o equilíbrio nos combates propriamente ditos?

Augusto Lousada: Sem dúvida. Eu vejo esta casa como uma para a competitivdade e para a emoção. Não faz sentido nenhum colocar David coxo a enfrentar um feroz Golias.

Luís Barreira: E eu concordo! Faz todo o sentido. E diga-me, senhor Lousada, está ansioso por algum combate em particular na noite de hoje?

Augusto Lousada: Não deveria, mas confesso que estou desejoso para ver como Arsénio Fuínha e Phillip Hunt se vão encontrar novamente após o grande combate que travaram há algumas semanas. O canadiano evoluiu, o português amadureceu. Ambos são grandes talentos e desejo-lhes tudo de bom para o combate.

Luís Barreira: Eu próprio não diria melhor. Então, senhoras e senhores, preparam-se para um evento diferente e dinâmico patrocinado pela nova gestão do executivo Augusto Lousada! Colem-se ao ecrã, acreditem que irá valer bem a pena!

*Toca a música da Still Worth Fighting For, faixa de Diogo Lourenço*

Raquel Jacob: Senhoras e senhores, dêem as boas-vindas ao campeão da Vanguarda, acompanhado por Alexandra Valente, Diogo Lourenço!

BUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUH.

Luís: Começamos o evento com um campeão. Podia ser melhor, mas também podia ser pior... é a tal faca de dois gumes, amigo Beja.

Beja: Não sabes dizer bem de ninguém, é impressionante. Pode ser jesus ou o demónio, arranjas sempre alguma parvoeira. Devia colar-te a boca com fita cola para pareces um figurante.

Luís: Óbvio que não gosto do diabo. O gajo está naquele calor e depois fica a cheirar mal, é natural.

Beja: Senhoras e senhores, ele está oficialmente louco!

Diogo Lourenço entra no ringue acompanhado por Alexandra, constantemente apupado. Este ignora completa os fãs, tal como Alexandra Valente.

Beja: João Barbosa está no ringue e irá conduzir esta conversa com o campeão da Vanguarda. Barbosa, passamos-te agora a palavra!

João Barbosa: Olá Vanguarda! Como estão?

O público reage negativamente por Diogo Lourenço e Al se encontrarem no ringue. Al aproxima-se do microfone do entrevistador.

Al: Ninguém devia dar ouvidos a este público .

João Barbosa: Isso já são opiniões. Bem… Pelo que me foi informado o Diogo Lourenço irá enfrentar Yuri Petrov no próximo Vanguarda, essa notícia foi confirmada hoje aqui nos bastidores da VLL. Certamente que vocês os dois já sabem disso, mas quero ouvir o comentário aqui do campeão Diogo na mesma…

Diogo Lourenço aproxima-se, ele que até ao momento ficava mais atrás olhando para o público.

Diogo Lourenço: Como já se devia esperar o novo manda chuva aqui da VLL, o Lousada, quer marcar impacto. Este Vanguarda número trinta será uma forma de tal acontecer. Assim sendo faz sentido ter Yuri Petrov contra Diogo Lourenço. São as tais audiências que o mesmo quer.

Al tira o microfone das mãos de João Barbosa bastante irritado.

Al: Isso é mesmo o que tu achas?!

Diogo abana apenas com a cabeça de forma afirmativa.

Al: Só falta dizer que o Yuri merece lutar pelo teu título. Depois de tudo o que disseste não estarás a contradizer-te?

Diogo Lourenço: Eu disse isso por acaso?

Algum silêncio no ringue, o público insulta Al Valente.

Beja: Parece que estamos com divergências nos dois membros que sobraram dos Verno.

Lousada: Audiências a subir…

Luís: Deviam era deixar o Diogo falar, ele é o campeão!

Beja: Parece-me que a Al quer é ter direito a destaque.

Lourenço: Eu compreendo que o Lousada queira o combate, não disse que ele merecia.

Diogo olha para o homem que acaba de referir na mesa de comentadores.

Lourenço: É incrível como nos últimos dias temos andado a discordar tanto. Já me andas a irritar. O Yuri não me vai conseguir vencer, isso é completamente impossível. Mas tens de confiar mais em mim. Não sou uma criança. Posso ser o campeão mais novo da história da VLL, mas também sou o mais homem que podes encontrar aqui dentro…

Al parece sentir-se culpada e abraça Diogo.

Barbosa: Bem parece que esta é a entrevista possível com o campeão da Vanguarda e a sua manager…

Diogo Lourenço e Al deixam o ringue a falar.

*****

A câmara foca pela primeira vez a zona de bastidores do pavilhão da Vanguarda da Luta Livre. Vemos um homem bem vestido que vai andando pelos bastidores. É Roberto da Luz, médico chefe do departamento dentro da federação.

Roberto da Luz: Olhe, desculpe...

Roberto questiona um funcionário presente no corredor. Pelo seu vestuário e aspeto físico tratava-se então apenas dum simples empregado.

Roberto: Viu o antigo supervisor geral, Lucas Brandão?

Empregado: Não vi o Lucas desde que cheguei, o que é que se passa?

Roberto: Como deve saber o senhor executivo Augusto Lousada é novo supervisor geral da Vanguarda. Ele quis e insistiu ficar na mesa de comentários para dar outra emoção ao programa, deixando-me com algumas tarefas extras aqui na zona de bastidores. Antes de ir para a mesa pediu-me para tentar encontrar António Raminhos, o convidado do programa de hoje.

Empregado: Mas o senhor não é médico? E ele comediante?

Roberto levanta a sobrancelha e inclina a boca sorrindo ligeiramente, como que concordando com a direta declaração do trabalhador.

Roberto: Deixei a médica Joana Costa como responsável provisória, nesta altura a minha prioridade é encontrar Lucas Brandão por favor ao senhor Lousada daí a minha pergunta inicial. Não o viu mesmo? O Raminhos tinha ficado por conta dele...

Empregado: Lamento, mas não há sinais dele hoje. Até porque se ele estivesse por aqui já lhe tinha cheirado o perfume, desconfio que tome banho com aquilo.

Risos de Roberto da Luz, ligeiramente preocupado contudo.

Roberto: Tudo bem, agradeço a disponibilidade. Vou ao parque de estacionamento ver se chegou atrasado ou qualquer coisa do género. Não acho é coerente ser destituído do cargo e começar a fugir às obrigações logo a seguir...

Cumprimento entre ambos enquanto a câmara se vai afastando de cena e desvanecendo logo após.

*****

A câmara fixa volta a focar o ringue. Está prestes a iniciar-se o combate inaugural da noite que irá colocar frente-a-frente Caim Ezequiel e Sogun Madden.

Lousada: Muito bem, este combate promete muito. Teremos frente-a-frente dois lutadores bastante interessantes na federação.

Beja: Precisamente. Sogun Madden é novo e quer mostrar o que vale depois duma vitória, mas pelo seu lado Caim Ezequiel quer manter a sua onda positiva de vitórias. Vamos ver o que fará depois de mandar Pedro Portilho para o departamento médico.

Luís: Só nos fez um favor...

Beja: Era um lutador com enorme potencial, não precisas de ser assim com o rapaz. Poderia ter sido muito mais na Vanguarda da Luta Livre, mas a lesão foi fatal.

Luís: Credo, Beja! Quem te ouve pensa que os discípulos do Caim mataram o gajo. Tem tento na língua, modera os teus comentários por favor.

*Toca a música Invasion, faixa de Caim Ezequiel*

Raquel Jacob: Senhoras e senhores, este é o combate inaugural da noite e está marcado para uma derrota! A caminho do ringue, oriundo de Israel e pesando 90kg... "o escolhido de Jesus"... Caim Ezequiel!

BUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUH.

Beja: É uma reação bastante negativa do nosso público para o israelita. Obviamente que as suas ações mais recentes não têm sido do agrado geral, mas há que reconhecer que temos aqui um osso duro de roer dentro do ringue.

Luís: Obviamente. O homem vai arrumar a competição hoje, também.

Lousada: Eu não teria tanta certeza Luís. O Madden é um atleta bastante inteligente e hoje poderá fazer a vida complicada ao seu adversário. Como disse no princípio do evento, reina o equilíbrio nestes combates.

Luís: Claramente, senhor Lousada. Mas acredito que Caim possa vencer com alguma facilidade tendo em conta a sua maior experiência.

Beja: Desculpem interromper, mas aqueles dois indivíduos nas primeiras filas não vos são familiares? São os discípulos de Caim Ezequiel!

Luís: Pois são... mas se pagaram bilhete está tudo firme.

Lousada: Uma situação a estudar.

Caim vai até ao ringue com uma bíblia e cajado nas mãos, pousando-os logo de seguida, sinalizando que está pronto para o início do combate.

*Toca a música Doom and Gloom, faixa de Sogun Madden*

Raquel Jacob: E o seu adversário, a caminho do ringue, oriundo da Suíça e pesando 91kg... "o lutador de quatro olhos"... Sogun Madden!

Beja: Segundo combate para o suíço na Vanguarda da Luta Livre!

Lousada: E na semana passada não combateu, mas andou a perseguir Darren Keane. Uma rivalidade provocada pela ousadia destes dois novos lutadores na companhia, diria mesmo que episódios destes fazem a Vanguarda um evento excitante.

Luís: E ele venceu mesmo o seu primeiro combate, mas duvido que vença este.

Beja: De facto, este será também um teste muito difícil. E claro que a cabeça do suíço poderá estar noutro lado. A contenda está prestes a começar e veremos como o primeiro combate do senhor executivo Lousada irá desenrolar.

Sogun Madden entra no ringue e ergue o punho, cumprimentando momentos antes alguns fãs nas primeiras fileiras do recinto.

*Soa a campainha*


Sogun Madden retira os óculos e Adelaide Rodrigues sinaliza que está tudo em ordem para a contenda inaugural da Vanguarda vinte e nove. Madden procura um teste de força com o adversário, mas o israelita recusa e tenta uma Clothesline porém em vão pois Madden esquiva-se de forma inteligente. O público parece ter gostado deste início e o suíço aplica depois um Dropkick em cheio no peito do crente. Este vai ao chão, sendo que o suíço desvia imediatamente o olhar para os discípulos de Ezequiel. Os mesmos estão ainda no mesmo lugar, sendo que o israelita aproveita a distração de Sogun e aplica-lhe um pontapé na parte de trás da perna, deixando-o numa perna só. German Suplex! O devoto lutador aproveitou alguma inexperiência do adversário e vai para o assentamento, 1... 2... Madden safa-se!

Ezequiel tem agora a tarefa de levantar o suíço, fazendo-o tranquilamente. Cabeçada em Sogun Madden por parte de Caim! Mais uma, e mais outra! Muito impacto e agora segue-se um Europen Uppercut em cheio no maxilar de Madden, pode ser o final do combate, 1... 2... mas o pé do suíço estava em cima da corda e isso obriga a uma paragem na contagem. A melhor sequência de golpes em todo o combate e por parte do israelita deixa agora o adversário levantar-se. Vai para junto dum canto, toma balanço e levanta o pé... mas falha o Big Boot e permite o Brainbustah de Madden! Assentamento, 1... 2... Caim safa-se!

Sogun consegue sentir o seu ímpeto nesta fase do combate e levanta o israelita! Murros, cotoveladas e joelhadas vão deixando o seu adversário extremamente atordoado no meio do tapete! Recua dois passos, vai tentar um pontapé na têmpora mas Caim Ezequiel abaixa-se! Super Kick por parte de Caim em cheio no rosto de Madden! KO Punch!

Assentamento do israelita no suíço, 1... 2... 3! Vitória para Caim Ezequiel


Raquel Jacob: O vencedor deste combate... Caim Ezequiel!

Lousada: Lá está. Um combate extremamente equilibrado com o vencedor escolhido pelo Luís antes da contenda, mas fica uma imagem extremamente positiva de ambos. Posso dizer que este combate foi brilhante para abertura, tendo em conta que na semana passada Lourenço destruiu Reinaldo Unas no combate da mesma ordem.

Luís: Dou-lhe toda a razão senhor Lousada! Foi um combate extremamente equilibrado que podia pender para qualquer lado, mas como pensava foi Caim a vencer. Bravo!

Beja: E assim continua a onda vitoriosa de Caim Ezequiel que vai lançado para a Vanguarda trinta. Sogun Madden termina a sua prestação na noite de hoje com uma nota claramente em baixo. Vamos ver como conseguirá reverter isso no seu combate contra Darren Keane na próxima semana.

Lousada: E como já tive oportunidade de vos dizer, que guerra fantástica que essa será. Dois lutadores novos e sedentos pela vitória. Um guiado pelo coração, outro pelo cérebro.

A imagem desvanece com os discípulos de Caim Ezequiel a saltarem para dentro do ringue, mas um número alto de oficiais perto do ringue faz o mesmo e impedem um ataque a Sogun Madden.

*****

O ecrã gigante leva-nos novamente para a zona de bastidores da Vanguarda da Luta Livre. Yuri Petrov está junto duma das partes do vestiário masculino alongando a perna direita.

Marcos Santos: Yuri, amigo russo!

Nisto aparece na imagem o brasileiro Marcos Santos que cumprimenta de forma cordial o candidato principal ao título da Vanguarda. O brasileiro está com um sorriso na cara e parece levá-lo a todo o lado para onde vai.

Marcos: Então, está tudo bem? Estava vendo se encontrava por aí António Raminhos porque quero aprender algumas coisas com esse sujeito, mas ainda não o vi por aí.

O russo torce o lábio, como que quem não tem uma resposta positiva.

Yuri Petrov: Nem eu, Marcos. Lamento mas ao que parece ninguém o viu hoje ainda. Eu estou muito bem, depois de ultimar os pormenores da minha recuperação vou voltar hoje ao ringue da Vanguarda.

Marcos: Contra o Alberto Valente não estarei certo?

Yuri: Sim, exatamente. Penso que será um combate muito equilibrado e preciso mesmo desta vitória para levar confiança para a Vanguarda trinta.

Marcos Santos coloca a mão no ombro de Petrov.

Marcos: Estarei do seu lado nesse embate amigo! Espero que vença o título àquele tirano do Diogo Lourenço e você merece isso tudo de bom e mais ainda.

Yuri: Tudo começou na Vanguarda 24 depois daquele cobarde ataque, não sei se você se recorda. Diogo Lourenço atacou-me e fez-me perder o combate contra Jorge Gante mais logo na mesma noite. Foi um problema para mim e deixou-me fora de ação durante algumas semanas. Acredite, amigo, a única coisa que pretendo neste momento é vingar-me por mim e pelos meus fãs. Porque eu mereço e porque eles merecem um campeão digno.

Marcos Santos abana positivamente a cabeça.

Marcos: É isso cara, lembre-se que eu estarei aqui se precisar de alguma coisa. Teremos de nos unir quando for necessário, espero que também tenha a mesma opinião.

Cumprimento entre ambos.

Yuri: Certamente meu amigo.

Marcos: Ah, Yuri... percebe de animes?

Yuri: Lamento, mas não sou a pessoa aproriada para falar disso.

Marcos: Droga! Preciso de abrir uma aula sobre animes nessa federação.

Yuri Petrov torce o nariz, mas ri-se segundos depois enquanto a imagem vai desvanecendo.
avatar
vlladmin

Número de Mensagens : 511
Data de inscrição : 30/08/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VANGUARDA 29# (RTP2) - (29/10/13)

Mensagem por vlladmin em Qua 30 Out 2013, 06:45

A imagem foca agora uma rua onde a claridade solar se manifesta. Ouvimos o barulho de um motor ao longe. Claramente estamos perante um vídeo gravado em antecipação, no meio de uma rua praticamente deserta. Uma mota aproxima-se e vemos Darren Keane a chegar, com um casaco de cabedal de manga curva e um capacete. O mesmo estaciona a 5 ou 6 metros da câmera, retira do capacete e o seu cabelo todo despenteado demonstra o seu descontentamento.

Darren Keane: O meu nome é Darren Keane e certamente que já me viram a marcar impacto na VLL. Mas por incrível que pareça os resultados não falam por si, visto que até agora só venci o Queijadas. O pobre homem teve o azar de me apanhar num momento em que vinha de uma derrota com Shogun Maden.

Darren Keane sai de cima da mota e coloca-se ainda mais perto da imagem, que lhe foca apenas a cara.

Keane: No entanto terei oportunidade de me mostrar novamente contra esse mesmo lutador na próxima semana, onde de uma vez por todos o vou devastar.

O mesmo parece lembrar-se de algo.

Keane: A mais recente aquisição da VLL, a antiga AWA, lembra-me de algo… Kevin Gunn. Eu treinei com Gunn durante uns tempos, um lutador exemplar obviamente. Todos sabemos do que ele é capaz, mas uma coisa é certa, eu sou melhor. Ainda não o mostrei tenho noção disso, mas também tenho a noção que sou muito mais competitivo. E que sou o verdadeiro “Son of Violence”. Sou a continuação do mesmo aqui dentro. Um lutador calculista e com ideologias idênticas, mas com a minha identidade própria.

Darren Keane aproxima-se da sua mota.

Keane: Pode parecer um cliché total eu andar de mota, mas acreditem que faz parte da minha identidade. E a minha identidade é tudo o que gosto de preservar na minha vida. Gunn tu és o passado e por não teres nenhuma forma de me enfrentar naquele ringue digo-te… eu sou o presente e o futuro não só desta companhia mas do Reino Unido, o belo e maravilho condado governado pela poderosa Rainha.

Keane coloca-se em cima da mota novamente e começa a colocar o capacete novamente.

Keane: Mais cedo ou mais tarde os resultados irão mostrar a todos que ninguém tem o poderio de Darren Keane, nem mesmo o Kevin Gunn o teve. Eu perdi, mas ele também perdeu, a minha adaptação esta concluída. Madden… prepara-te porque agora sim vais aprender algo na tua vida que nunca te irás esquecer.

A mota é ligada e Darren Keane desaparece no horizonte.

*****

A câmara volta a mostrar a zona de bastidores da Vanguarda da Luta Livre. Porém desta feta é mostrada a zona de entrevistas, onde vemos as figuras de Pedro Lombarda e Rob Este.

Pedro Lombarda: Boa noite, Vanguarda da Luta Livre. Está-vos a ser apresentado mais um grande evento desta federação e teremos agora o nosso habitual espaço de entrevistas. Junto a mim tenho Rob Este, antigo Parceiro de Guerra que trava agora uma intensa e amarga rivalidade com o seu antigo companheiro de combate, Alberto Valente.

A câmara desloca-se ligeiramente para a direita e vemos de forma mais nítida a expressão facial frustrada, agressiva e intensa por parte de Rob Este.

Rob Este: Boa noite, Pedro. Agradeço o convite para colocar alguns pontos claros.

Rob começa a amarrar o cabelo enquanto Pedro Lombarda lhe vai fazendo a questão inaugural nesta noite.

Lombarda: Lamento ter de lhe perguntar isto, porém...

Rob: Achas que na última semana não me fizeram perguntas sobre a minha mãe!? Achas que não me massacraram, Pedro? O que quer que perguntes, certamente não será inédito na minha vida...

Pedro Lombarda está receoso, mas acaba por ganhar coragem e fazer-lhe a pergunta.

Lombarda: Muito bem, Rob. Então, que efeitos tiveram esta sequência de acontecimentos na tua vida?

Rob dá uma palmada amigável no ombro do entrevistador.

Rob: Tudo isto foi como uma facada, Pedro. Acredita em mim.

Lombarda: E que repercussões teve na sua vida pessoal e social?

Rob: É óbvio que algo como isto acaba por-te tirar brilho da vida. A minha vida acaba assim por ficar menos brilhante e afogada em mágoa e incerteza. Não querendo parecer dramática, tudo isto tem o seu peso no meu consciente.

Lombarda parece notoriamente triste pela situação referida.

Lombarda: Neste momento o que consegue pensar, o que consegue dizer a Alberto Valente? Tem algum tipo de mensagem que gostaria que ele ouvisse?

Expressão facial de Rob Este que não engana. Está irritadíssimo.

Rob: Esse verme - não merece que o seu nome saia da minha boca - só tem que pagar. Pelo que fez com a pessoa que me trouxe ao mundo e com o que tem feito comigo nas últimas semanas. Tem passado dos limites a pouco e pouco, atingindo patamares que até se tornam difíceis de imaginar. E espero que hoje sofra nas mãos de Yuri Petrov.

Lombarda: Boa sorte para a sua situação, Rob. Obrigado pelo teu tempo.

A imagem desvanece depois dum cumprimento entre ambos.

*****

A câmara volta a focar o ringue. Dentro de momentos irá inicar-se o segundo combate da noite que será observado por Rob Este na zona de bastidores. Alberto Valente irá colocar-se no ringue contra o russo Yuri Petrov que regressa aos combates mais de um mês depois.

Beja: Senhoras e senhores, dentro de início teremos um dos combates mais aguardados da noite. Yuri Petrov volta a combate num ringue depois de mais de um mês, enquanto Alberto Valente precisa duma vitória para colmatar o seu bom momento face os confrontos e desacatos com Rob Este.

Lousada: Bravo, Beja. Essa é sem dúvida uma boa análise para este combate, mas muito resumidamente posso dizer que ambos precisam duma vitória. E isso chega.

Beja: Precisamente...

Luís: Concordo com o senhor executivo Lousada mais uma vez, ambos precisam desesperadamente duma vitória.

Beja: Ainda não tinha acabado Luís. Que mania de interromper os outros!

Luís: Ups, desculpa então.

Beja: E novamente. Nem vale a pena contigo pá. Arranja uma vida.

*Toca a música Solteiro, faixa de Alberto Valente*

Raquel Jacob: Senhoras e senhores, este combate está marcado para uma derrota! A caminho do ringue, oriundo de Lisboa e pesando 107kg... "o conquistador"... Alberto Valente!

BUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUH.

Beja: Não estou aqui desde o princípio, mas posso dizer que vi poucas recepções destas a alguém desde que estou aqui na federação! Alberto Valente é simplesmente odiado pelo povo presente no pavilhão, é natural contudo.

Luís: Têm inveja do homem, só pode. Não são todos que se podem gabar de ter tido relações com a mãe do maior inimigo. Comprem Nivea já que a dor de cotovelo incomoda...

Lousada: Resta-me oficializar um combate entre estes dois artistas. Mas obviamente ele acontecerá num futuro próximo. Rob Este mostrou-se extremamente frustrado e claramente que Alberto Valente também quer voltar a colocar as mãos no justiceiro.

Beja: Claro, senhor Lousada, ambos estão famintos. Será um combate extremamente físico. Porventura com semelhanças aos de Aníbal Fragas, como se tem visto.

Luís: O Aníbal é melhor!

Lousada: É uma comparação que tem a sua ponta de lógica, mas ninguém nesta federação se pode comparar ou pode ser comparado ao Aníbal. Ele é único em todos os sentidos como terão oportunidade de ver brevemente.

Valente anda lentamente pela rampa abaixo piscando o olho a algumas jovens mais atraentes nas primeiras filas. De seguida entra no ringue e ergue o punho com o símbolo da paz, sendo apupado logo de seguida.

*Toca a música Dance with the Devil, faixa de Yuri Petrov*

Raquel Jacob: E o seu adversário, a caminho do ringue, oriundo de São Petersburgo, Rússia e pesando 135kg... "o tanque russo"... Yuri Petrov!

YEAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH.

Beja: Que demonstração de respeito fantástica para este grande lutador em Yuri Petrov! O público vai aplaudindo de pé o russo que vai cumprimentando alguns fãs.

Lousada: É merecido, sim senhor. Resta saber se está à altura do passo acima dentro desta federação... e este é um teste de fogo para este senhor russo. Veremos.

Luís: Não é capaz, senhor Lousada, é um erro!

Beja: Cala-te pá, lá pelo facto de vires cá com uma visão distorcida e non-sense das coisas não quer dizer que os outros também tenham que a ter.

Lousada: Qualquer dia marco um combate entre vocês os dois. Que hilariantes.

Yuri Petrov demora algum tempo a entrar no ringue para cumprimentar dezenas de fãs na primeira fila. Depois disso entra no ringue e coloca-se em cima dum canto, fazendo pose e mostrando os seus músculos para mais alguns aplausos do público.

*Soa a campainha*


David Peralta é o oficial designado para o combate. O público vai gerando um ambiente quase ensurdecedor a apoiar o russo da Vanguarda da Luta Livre, enquanto o português parece desnorteado com este começo. Os lutadores aproximam-se um do outro cuidadosamente e Valente é o primeiro com uma brecha de ofensiva! Chapadas do lutador luso no peito de Yuri Petrov que se ri enquanto Alberto continua com os movimentos. Petrov com uma chapada da sua autoria e Valente começa a gritar em pleno ringue! Fez eco pelo pavilhão inteiro. Demonstração de força bruta por parte de homem de São Petersburgo. Clothesline agora em Valente. O público vai gostando deste início de contenda.

Leg Drop por parte do russo em cheio em Alberto Valente. Ainda não avança para o assentamento, mas levanta sim o seu adversário. Irish Whip, levando o seu adversário até a um dos cantos do ringue. Petrov anda lentamente até a essa zona e acaba por aplicar um poderoso European Uppercut em cheio no seu adversário português. Petrov recua uns passos e parece que Alberto Valente vai na sua direção... Russian Bear Hug!? Não! Alberto Valente consegue passar por entre as pernas do adversário e escapar a uma das suas manobras mais letais, muito inteligente. Petrov vira-se para sofrer um doloroso Inverted Atomic Drop, seguido dum magnífico Dropkick. Assentamento de Valente, 1... 2... Petrov safa-se com autoridade.

O russo vai-se levantando e Valente vai-lhe tirando as medidas... Low Angle Dropkick em cheio na canela do lutador russo que fica dobrado junto dum canto. Valente sobe rapidamente à segunda corda e aplica um violento Double Axe Handle que por coincidência acerta em cheio no ombro do russo que tinha sido magoado por Diogo Lourenço há pouco mais de um mês. Foi aí que Alberto Valente se apercebeu que teria de trabalhar nessa antiga lesão do seu adversário. Rapidamente o russo vai respirar melhor para fora do ringue, tentando recuperar o fôlego depois desta nada favorável sequência de golpes. Valente vê o russo indefeso e lança-se por cima das cordas com uma excelente Slingshot Crossbody, atingindo também o ombro de Petrov!

Alberto Valente vai-se gabando junto de alguns fãs nas primeiras filas. Entra no ringue à contagem de 5, pensando que Petrov não seria capaz de voltar a entrar no quadrado de combate. Enganou-se, pois à contagem de 8 lá o russo conseguiu com muito esforço voltar. Aos poucos consegue ir-se levantando dentro de ringue, enquanto Valente sobe à terceira corda! Atira-se e tenta aplicar o Inverted Tornado DDT... mas grande contra-ataque do russo que prende o adversário no Russian Bear Hug! Sensacional mudança de eventos esta neste combate. Está presa toda a pressão nas costas do português que não se está a conseguir livrar deste golpe violento de Yuri! Cabeçada de Valente! Belly-to-Belly Back Suplex por parte do português, grande contra-ataque. O público fica estupefacto!

O combate pode pender para qualquer um dos lados, sendo que Alberto Valente tem ligeira vantagem por esta altura. Petrov vai colocando a mão no ombro, enquanto o adversário vai-lhe tirando as medidas mais uma vez! Spinning Wheel Kick, será... Petrov esquiva-se! Crossface por parte do russo em Alberto Valente! A ação passa-se no meio do ringue e não está fácil a situação para o português. O mesmo vai gritando de dor enquanto Petrov vai cada vez mais aumentando a pressão no golpe. Alberto Valente desiste no meio do tapete, dando a vitória ao russo!


Raquel Jacob: O vencedor deste combate... Yuri Petrov!

Lousada: Mais um grande combate com a marca desta nova gestão, melhor e mais fresca! Um grande combate onde ficou promovido o wrestling e não as manhas.

Luís: Os meus parabéns, senhor Lousada! Que duelo de titãs! Mas penso que Alberto Valente teria ficado mais bem servido com a vitória, sinceramente. Fez mais por isso e faria todo o sentido ter arrecadado a vitória. Mas já deu para ver que esta modalidade não é justa. Vira o disco e toca o mesmo... Beja?

Beja: Sinceramente, muito mesmo, não sei porque te queixas. Cala-te por uma vez na vida. Yuri Petrov veio de uma lesão relativamente grave e esforçou-se imenso para conseguir esta vitória, se fosse outro provavelmente pararia o combate a meio para ser assistido. Os meus parabéns a Petrov pela grande vitória!

Lousada: Como vos disse, tenho de marcar um combate entre vocês os dois. Parecem cães.

*Toca a música Still Worth Fighting For, faixa de Diogo Lourenço*

Luís: Oi? Agora disfarçou-se de viúva negra?

Alexandra Valente aparece sozinha na rampa de acesso ao ringue.

BUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUH.

Lousada: Já vi esta sujeita hoje, muito sinceramente dispensava tê-la aqui novamente. Mas vamos ver o que tem a dizer. Escusado é dizer que irá insultar Yuri Petrov, isso seria referir o óbvio. Ao que menos que seja inovadora...

Alexandra tem um microfone na mão.

Alexandra Valente: Yuri. Os meus parabéns pela vitória. Certamente que o Diogo também te felicita depois dessa vitória contra esse lutador do nome o qual não me recordo. Duvido que o Diogo se lembre, também. Um discurso arrogante, pensarás tu.

Beja: E estúpido, Alexandra!

Alexandra: Pois bem. Eu sei quem ele é, preocupante se não o soubesse claramente. Mas isto serve para dizer que quer eu e, mais importante, o Diogo, estamos focados numa figura apenas. Na tua. E quando esta aliança está focada em algo ou alguém o seu desfecho nunca é favorável, digamos.

Olhar maquiavélico no rosto de Alexandra.

Alexandra: Posso citar, por exemplo, Ricardo Soares. Toda a gente sabe que o velho deve ter fingido o ataque cardíaco ou, numa última instância, sentiu-se mal por causa de nós. Não por causa dos que já lá foram... mas por causa do todo. Vinícius Nunes também seria uma vítima. E é curioso porque estamos sempre a descer na vida pois agora encontramos um asqueroso como tu. É irónico.

BUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUH.

Alexandra: Exatamente, pavilhão. Apupem a verdade que vos libertará! Para ti, brutamontes, lembra-te destas palavras na próxima semana. Porque tu és o próximo a perceber porque é que estes laços e esta aliança nunca se desfaz na sua totalidade. Porque é demasiado valiosa, ao contrário dum russo que saboreia uma vida miserável.

Alexandra atira o microfone ao chão, enquanto encara Yuri Petrov na rampa de acesso ao ringue. O russo mostra um olhar extremamente intenso.

Beja: Temos combate, senhor Lousada?

Lousada: Sim... sim, ok... não pode esperar? Sim, ok. Dê-me 2 minutos.

Beja: Algo de errado?

Lousada volta a colocar o telemóvel em cima da mesa de comentadores.

Lousada: Surgiu uma situação nos bastidores, o meu cargo tem destas coisas. Mas vou mostrar-me prestável para tudo o que puder. Dentro de alguns minutos estarei cá novamente para prestar o meu auxílio na mesa de comentários.

Luís: Vou sentir a sua falta!

Beja: Oportunamente teremos que ir para intervalo, não saiam dos vossos lugares!

A imagem desvanece enquanto Augusto Lousada se vai levantando.

*****


*****

Regresso à emissão da Vanguarda vinte e nove. Vemos o supervisor geral da Vanguarda, executivo Augusto Lousada, à conversa com o médico chefe do departamento da federação.

Augusto Lousada: Primeiro de tudo, Roberto, muito obrigado pelo trabalho que me estás a desenrascar na noite de hoje. Sei que não é o teu trabalho e que tens imensas responsabilidades no departamento médico.

Roberto transborda dúvida no seu discurso.

Roberto da Luz: Senhor Lousada, não há qualquer tipo de problema. Sabe que durante os eventos o ambiente na sala costuma estar calmo e sem grandes encargos. Mas tenho uma dúvida e gostaria que me esclarecesse, pois já abordei montes de trabalhadores, lutadores e até diretores...

Lousada: Sim, Roberto, eu também queria saber onde está o Lucas. Não o encontro em lado nenhum e ele tinha a importante tarefa de trazer o Raminhos cá ao pavilhão para uma aparição mais logo. E sabes que mais? Isto assim é uma estupidez.

Roberto: Claramente. Não sei das suas razões, mas isto é um grande inconviniente.

Lousada: Enquanto fosse só isso ainda ia... mas sabes que mais? Pouco antes do combate do Petrov mandaram-me um e-mail para o telemóvel a dizer que não conseguiam avistar o Arsénio Fuínha em lado nenhum. Eu tenho os meus limites e estes tipos estão a esgotá-la. Estou farto de joguinhos.

Augusto Lousada senta-se na cadeira do seu escritório, dando um murro na secretária.

Roberto: Mas o Arsénio não tinha combate marcado contra o Hunt, aquele forte?

Lousada: Lá está. Se não tem combate nem tenciona ter uma aparição no evento é normal que não esteja cá, também para estar com a família, mas não se justifica. Ele tem combate daqui a pouco e não telefonou, não mandou mensagem nem pediu a ninguém para avisar a ausência. Mesmo que se tivesse passado algo de grave seria importante saber-se cá do outro lado da barricada. E não deve ser medo do Phillip Hunt, certamente... por isso é que será o Henrique Coelho a enfrentar o canadiano. É o melhor a fazer, fica já marcado.

Roberto da Luz fica realmente pensativo.

Roberto: A razão está toda do seu lado. Eu acho estas ausências realmente estranhas...

Ouvem-se passos e alguém entra no escritório sem bater à porta.

Lousada: Já ouviste em bater à porta?

Lousada levanta a cabeça e vê Raminhos, para seu espanto.

Lousada: Toni! Quem é que te trouxe?

António Raminhos: Eu estive no parque de estacionamento durante algum tempo, disseram-me que um tal de Lucas vinha-me buscar mas o gajo não apareceu. Deve ter ficado presa na gordura corporal do Vinícius Nunes, até me admira o tipo ainda não ter engolido o cinturão...

Lousada: Mas afinal vieste para dentro sozinho?

António Raminhos: Sim, felizmente ensinaram-me a andar há umas décadas atrás. Se não fosse isso estava lixado agora. Onde é que está aquele gajo, o Aníbal Fragas, que me falaste? Quero conhecer o valente para ver se é tão durão como me tinhas dito.

Lousada: Hás de conhecê-lo. Primeiro temos que tratar duns assuntos.

A imagem desvanece no escritório de Augusto Lousada, sendo que a imagem começa a focar uma zona nos bastidores perto dum ecrã de televisão. Henrique Coelho ia vendo o segmento anterior, frustrado por ter de enfrentar Phillip Hunt.

Henrique: Devia era cuspir gama no cabelo daquele Raminhos, não gosto nada daquele brassard. Pensa que tem piada...

*****

A imagem foca um hotel no centro da cidade lisboeta. A câmara vai subindo numa velocidade vertiginosa até atingir o topo do edifício. Lá a imagem abranda, focando o sujeito que se encontra no terraço. Um mascarado com um fato de super-herói. Nada mais nada menos do que um dos lutadores mais adorados pelo povo que é fã da Vanguarda da Luta Livre, Toni Queijadas.

Toni Queijadas: Aqui em cima esclareço as ideias.

Queijadas aperta a máscara no dia ventoso.

Queijadas: E defino o porquê. A razão do escuteirinho de Amareleja não consegue levantar um assentamento até ao fim e vencer combates de uma vez. A razão é simples e esteve sempre junto à minha sombra, mas eu não o sabia. Fui claramente ingénuo.

O vento continua a soprar com intensidade enquanto a capa de Toni Queijadas continua a brilhar e a esvoaçar por trás do mesmo.

Queijadas: Preciso de me esforçar, preciso de treinar mais. A tendência dos desfechos dos meus combates não irá mudar porque aplico um golpe diferente ou porque o escuteiro tem o público no seu lado. Não interpretem mal, isso é fundamental. Mas o ponto fundamental tem que vir de nós próprios. Tenho de treinar mais para começar a vencer. É obrigatório e irá marcar um ponto de viragem na minha carreira na Vanguarda.

Toni Queijadas vira as costas à imagem, enquanto a imagem foca a sua capa.

Queijadas: Acreditem em vocês. Façam por isso. Em breve voltarão a ver o escuteiro.
avatar
vlladmin

Número de Mensagens : 511
Data de inscrição : 30/08/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VANGUARDA 29# (RTP2) - (29/10/13)

Mensagem por vlladmin em Qua 30 Out 2013, 06:47

Moore SD aparece no grande titantron presente na arena, o público vira-se todo para ver o que se passa, no entanto passado algum tempo a imagem foca mesmo só Moore, o mesmo anda pelo backstage. Alguns trabalhadores passam por ele, mas o mesmo não lhes liga. Continuando a percorrer o backstage o mesmo chega ao balneário de Vinícius Nunes e António Andrade.

O público começa a vaiar esta atitude, será que o mesmo vai atacar o seu rival do combate de hoje?

O mesmo bate à porta com calma, alguns oficiais da VLL aproximam-se do local fazendo uma roda ao adversário.


Moore SD: Calma pessoal! Vim só desejar boa sorte ao meu adversário… como devem imaginar!

Moore sorri, António abre a porta e aparece furioso por ver António na sua frente.

António Andrade: Que faz aqui seu babaca?! Você é um monstro. Eu sei o que você tem vindo a fazer.

Moore: Ai sabes? Então o que é?

António olha em redor vendo os oficiais da VLL e por isso contem-se.

António: Como deve imaginar não vou falar aqui em frente ao povoado! Mas uma coisa é certa, você tornou tudo pessoal. O combate que era para ser no Vanguarda trinta passou pa hoje, mas cara… Quer tornar as coisas pessoais?

Moore, agarrado por três oficiais, começa a agir como se estivesse completamente passado da cabeça.

Moore: Força “cara”.

Moore tenta atirar-se para cima de António, depois de gozar com o mesmo.

António: Então faremos deste combate hardcore! Sem qualquer tipo de regras para além da submissão e da contagem!

António escapa dos seguranças e atira-se para cima de Moore, mas os mesmos acabam separados.

Moore: Vamos a isso brazuca! Vamos a isso!

A imagem desvanece.

*****

Vídeo no ecrã gigante do pavilhão da Vanguarda da Luta Livre. Este mostra a sede da Academia Nacional de Wrestling, donde se encontram alguns lutadores a treinar. A imagem mostra depois um vídeo antigo com algumas declarações de Ricardo Soares, antigo treinador da ANW.

Ricardo Soares: O que posso eu dizer sobre esta escola e segunda casa que é a Academia Nacional de Wrestling? Eu não fazia ideia do que iria encontrar quando para cá vim. A verdade é essa, esperava o oito e o oitenta. Não me passou pela cabeça...

Ricardo Soares vira-se e grita para o ringue, dando instruções a dois lutadores que estavam a treinar no mesmo. O mesmo dá-lhes algumas palavras de incentivo e bate algumas palmas. Vira-se novamente para a câmara.

Soares: Como ia dizendo: não sabia o que esperar, mas felizmente guiaram-me durante todo este processo para ensinar tudo aquilo que sei a estes jovens talentos. E a verdade é que a situação da academia neste momento pode-se comparar a um meio-termo. É certo que ainda há muito a fazer, mas estou satisfeito pelas condições de trabalho e de mão-de-obra - se é que podemos chamar assim. Estes jovens têm um potencial tremendo.

A imagem corta, mostrando outro excerto da entrevista de Ricardo Soares que data de alguns meses, antes da sua saída da Vanguarda da Luta Livre por doença.

Soares: Aspirações no futuro... a verdade é que tenho muitas. A Vanguarda da Luta Livre, desde aos empregados de limpeza até aos diretores querem que isto funcione. É como as camadas jovens no futebol. Não há a garantia de ser o futuro, mas obviamente trabalham para tal. E é isso que eu pretendo. Não tenho garantias de que os dois miúdos no ringue serão campeões no futuro, mas vou certamente tentar incutir essa mentalidade vencedora neles. Claro que a força de vontade e o trabalho também tem que vir dos mesmos, eu não posso fazer tudo.

Mais um corte, mostrando o último excerto da entrevista de Soares.

Soares: Generalizando, sim, estou muito satisfeito com o trabalho destes meninos do wrestling. Há muito potencial aqui e caras que espero eu no futuro serem reconhecidas na Vanguarda da Luta Livre. Eu acredito que a minha adição à academia tenha sido positiva, mas tem de vir deles a força para trabalhar. Eu estou apenas aqui como incentivo e professor. A responsabilidade e carga de trabalho tem que vir dentro daquele ringue.

A imagem desvanece. Alguns segundos depois aparece um novo vídeo, mostrando a atual Academia Nacional de Wrestling com alguns novos equipamentos e lutadores. São mostradas várias imagens dos novos lutadores da academia, tal como Shakespeare e a equipa de Gastão & Garcia. Mais um corte na imagem e vemos Frederico de Queirós, primeiro campeão Supremo da Vanguarda da Luta Livre e substituto de Ricardo Soares como treinador principal da academia.

Pedro Lombarda: Frederico, imagino que seja um sentimento gratificante ver a evolução desta escola, se é que se pode chamar assim. Tens tido novos lutadores constantemente e as condições têm sido bastante favoráveis à pratica de wrestling. Num apanhado geral, o que tem achado do seu trabalho e dos rapazes lá nos balneários?

Frederico de Queirós suspira, começando a responder.

Frederico de Queirós: Esta experiência tem sido enriquecedora até para mim, Pedro. Pode-se dizer que neste momento estou noutro lado da barricada, mas não posso dizer que seja pior. Não luto, e essa era uma das minhas paixões. Mas para mim, uma pessoa que não teve grandes conhecimentos empíricos sociais durante toda a minha vida, isto é gratificante. Não só para mim mas como para todos. Eu ensino-lhes imenso, mas eles também marcam a minha vida neste momento. São fantásticos.

Lombarda: E o que nos pode dizer sobre a evolução desta academia?

Fred: A verdade é que poderia dizer mil e uma coisas. Há miúdos aqui que evoluem do dia para a noite cada vez mais. Como já referi, são incansáveis e merecem tudo. O crescimento desta grande escola de wrestling tem sido proporcional ao crescimento da Vanguarda da Luta Livre e assim deverá continuar. Estou contudo muito grato ao Ricardo Soares e mando-lhe um enorme abraço se estiver a ver esta entrevista. A Vanguarda da Luta Livre deve-te muito, assim como este estabelecimento de aprendizagem. Porque sem ele, convenhamos, este seria um projeto muito mais débil...

Lombarda abana positivamente a cabeça como que quem concorda com o antigo campeão Supremo da Vanguarda da Luta Livre.

Lombarda: Para finalizar, Fred. Acha que a Academia Nacional de Wrestling irá continuar a crescer?

Fred: Absolutamente. Um treinador focado, grandes bases de apoio e miúdos - alguns mais velhos que eu, diga-se - que têm o mundo a seus pés. Com as atuais condições de trabalho eles podem ir longe. E, sinceramente, assim o espero. Grande abraço a todos.

Lombarda: Boa sorte!

A imagem desvanece.

*****

A câmara volta a focar o ringue. O terceiro combate da noite está a meros momentos. Por ordem do supervisor geral Augusto Lousada o novo adversário será Phillip Hunt, sendo que Arsénio Fuínha parece não estar no edifício.

Beja: E eis um combate inesperado marcado pelo supervisor geral da federação Augusto Lousada que está agora de volta à mesa de comentários depois de toda esta atribulada situação. Conte-nos melhor como se sucedeu isto.

Lousada: É simples... o Arsénio não aparece em lado nenhum. E acredita que esta decisão não foi tomada de ânimo leve, teve que haver uma grande dose de ponderação ao contrário do que parece. Ele teve tempo de se acusar e de aparecer por aí. Não o fez, é a única coisa que posso fazer. O povo que pagou bilhete não tem que ficar a apodrecer enquanto o menino não aparece para combater.

Beja: Não posso concordar mais. Vamos então dar início ao combate!

Luís: Ele pode ter ido à casa de banho, senhor Lousada. Com todo o respeito, mas ele pode ter ido fazer o número dois.

Lousada: Duvido que demorasse tanto tempo. Tarde de mais, contudo.

Luís: Gosto da sua forma de ver as coisas. Muito bem pensado.

Beja: Quase escorreguei. Quase!

*Toca a música Rabo de Peixe, faixa de Henrique*

Raquel Jacob: Senhoras e senhores, este combate está marcado para uma derrota! A caminho do ringue, oriundo de Ponta Delgada e pesando 95kg... "a sensação açoriana"... Henrique Coelho!

BUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUH.

Beja: Olha o que causou, senhor Lousada. O homem está com uma cara que parecem duas...

Luís: Que melão, até poderia dizer que é adepto do Sporting! Mas é do Santa Clara, vai dar ao mesmo... coitados. Estão sempre a levar no pêlo também.

Lousada: Como eu não disse, não tenho qualquer tipo de culpa e vocês sabem-no também. Aliás, ninguém tem a culpa da irresponsabilidade do Arsénio. Cabe-me a mim tomar as melhores decisões quando há imprevistos.

Beja: Claro, senhor Lousada, sem dúvida. E tem toda a razão, tenho de o dizer. Havia que colmatar esta inesperada e muito aborrecida situação.

Luís: Xô Beja, xô! Graxista!

Lousada: Vamos lá acalmar rapaziada.

Coelho dá uma volta ao ringue, pousando a bandeira dos Açores na mesa de comentadores e de seguida entrando no ringue, sempre muito apupado pelo público.

*Toca a música American Idiot, faixa de Phillip Hunt*

Raquel Jacob: E o seu adversário, a caminho do ringue, oriundo de Marieville, Quebec, Canada e pesando 110kg... Phillip "the hunter" Hunt!

YEAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH.

Beja: Grande reação para o canadiano. Pode ser que desta vença um combate a valer, depois de ter sido extremamente injustiçado pela antiga gestão.

Lousada: Era merecido, tenho de confessar. É um jovem com tremendo potencial! Mas o Henrique também tem uns truques na manga, acredito muito neste jovem. Além de ser excelente no ringue, também. Ambos são aliás.

Luís: É fraquinho este Hunt, ainda não venceu. Nem aquele rapper rafeiro derrotou...

Beja: Obras do Lucas...

Lousada: De facto.

Phillip Hunt aproxima-se do ringue, conversando e cumprimentando alguns fãs nas primeiras filas. O público vai entoando FIGHT HUNT FIGHT, enquanto o canadiano vai entrando no ringue e apertando a bota para iniciar o combate.

*Soa a campainha*


O árbitro Jorge Mesquita ainda não tinha dado o sinal para a contenda começar quando Henrique Coelho aproveita o facto de Hunt estar a apertar a bota e ataca o canadiano com um pontapé na têmpora, encostando-o a um dos cantos do ringue. O público apupa Coelho que responde com o dedo do meio à moda dos Açores. O mesmo pega no canadiano e prende uma manobra de submissão básica usada nas lutas greco-romanas. Hunt consegue usar as cordas para obter alguma vantagem e levantar-se tendo em conta a manobra do açoriano, empurrando-o logo a seguir e tentando recuperar algum fôlego nestes momentos iniciais da contenda. European Uppercut por parte do antigo campeão da Vanguarda, deixando o adversário atordoado no meio do ringue. Arremesso de judo! Algum do público mais alternativo aplaude de pé esta manobra de Henrique Coelho que tanto adoram, mas a maior parte do público apupa o açoriano que incentiva as vaias.

Dragon Sleeper preso perto das cordas, eventualmente Phillip consegue chegar às mesmas livrando-se do Sleeper de Coelho. O açoriano aplica constantes Stomps no peito e ombros do adversário, mas este consegue levantar-se rapidamente e agarrar-lhe o pé, empurrando-o logo de seguida para uma cambalhota para trás do açoriano. Este levanta-se rapidamente e notoriamente irritado, aplicando uma potente Clothesline que empurra o canadiano para fora do ringue. Henrique Coelho vai ter com o adversário, empurrando-o com violência até ao poste de aço fora do ringue e momentos depois para os degraus de aço. As costas de Hunt aparentam estar em mau estado depois desta demonstração ofensiva de Coelho, sempre muito apupado pelo público da Vanguarda da Luta Livre.

À contagem de 8 lá o canadiano consegue entrar no ringue com uma mão atrás nas costas, fazendo cara feia e queixando-se com algumas dores, mas sempre com piadas tentando animar a plateia. Ambos estão de pé, mas Hunt está notoriamente atordoado. Coelho goza com o adversário e vai para o Belly-to-Belly Suplex, mas Hunt vai aplicando cabeçadas sucessivas no açoriano e este vai para o meio do ringue, mas sem nunca cair. Superkick por parte de Phillip Hunt! Assentamento, 1... 2... Coelho ergue o ombro e o público não acredita! Um contra-ataque soberbo de Hunt que merecia ter sido recompensado de outra forma.

Hunt sente o ímpeto e o público está do seu lado! Levanta o açoriano que fica na posição do F5, o canadiano coloca-o no ar, mas Coelho consegue esquivar-se e fica por trás dele! Golpe baixo em cheio no abono de família do lutador do continente americano! De alguma forma o árbitro não viu tendo em conta a rapidez dos acontecimentos! Mugir da Vaca Miquelina, joelhos nas costas do canadiano...

Coelho parte para o assentamento muito tranquilamente, 1... 2... 3! Vitória para o açoriano!


Raquel Jacob: O vencedor deste combate... Henrique Coelho!

Lousada: A verdade é que eu não marquei este combate para isto. Numa noite conturbada, sem Brandão e Arsénio, foi isto que o destino nos ofereceu.

Luís: Grande vitória para o meu brassard açoriano! O desejo de ganhar tem destas coisas, acontecem. Ainda não foi desta, canadiano... para a próxima há de correr melhor!

Beja: Que comentário desprezível. Então, o Phillip não travou o combate cheio de adversidades? Primeiro é atacado enquanto não estava em condições para combater, segundo o Henrique recorreu a armas fora do ringue e por último, atropelou-lhe os jóias da coroa... sempre a mesma coisa.

Lousada: Isto merece desforra, meus amigos! Qualquer dia, digo-vos eu...

A imagem desvanece com Henrique Coelho a erguer o braço e a sair rapidamente do ringue em direção à rampa de acesso aos bastidores, enquanto Phillip fica sentado no ringue com as mãos na cabeça.

BUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUH.

Lousada: E a reação para Henrique Coelho não engana. O público odeia-o, mas vendo bem a verdade é que vai ganhando combates. E no fundo é apenas isso que interessa. Uma boa demonstração de ambos, vamos ver o que o fado reserva para este par de talentos.

Hunt vai saindo do ringue, cumprimentando alguns fãs mesmo que de cabeça baixa. A plateia aplaude-o e o mesmo agradece o apoio.

*Toca a música We Got the Power, faixa de Marcos Santos*

Luís: Oi? Quem é este pokemon agora?

Marcos Santos: Calma, amigo das pizzas! Phillip, meu companheiro. Não vale a pena ficar assim e chorar sobre leite derramado.

O público está confuso.

Marcos: O que nós precisamos é de nos unir. Com teu talento de atirar pizzas e com meus poderes kamehameha poderemos ser invencíveis, mas para isso precisamos de ficar juntos. Portanto eu proponho algo para você!

O público ri-se com as piadas do brasileiro. O mesmo dirige-se até Hunt no final da rampa de acesso ao ringue, saudando-o com uma palmada no ombro do amigo.

Marcos: Nós, lutando para vencer os Parceiros de Guerra na Vanguarda trinta... o que acha? Juntos seremos mais fortes e você sabe que sim. Basta apertar minha mão para formar uma nova força que irá derrubar aqueles campeões sem poder sayan. Aperte!

Phillip Hunt levanta a cabeça, aproxima-se de Marcos e dá-lhe um valente aperto de mão para contentamento de toda a plateia na arena da Vanguarda da Luta Livre.

Lousada: Parece-me que temos combate para a próxima semana! E que batalha!

Beja: Inesperado. Parece que temos aqui uma nova parelha que é verdadeiramente uma ameaça aos Parceiros de Guerra, Eustass Kid e Delmar Bento. Senhor Lousada, coloque os olhos nestes artistas!

Lousada: E parece que há nova situação nos bastidores. Até já rapaziada!

A imagem mostra a mesa de comentadores com Lousada a olhar de forma intrigada para esta nova equipa, enquanto Marcos Santos ergue o braço de Phillip Hunt enquanto a imagem desvanece.

*****


*****

Regresso à emissão da Vanguarda vinte e nove. A imagem volta a mostrar o escritório de Augusto Lousada que está sentado à conversa com o convidado especial da noite, o comediante António Raminhos. Nisto entra Roberto da Luz no escritório, batendo à porta.

António Raminhos: Ó senhor doutor, estou aqui com uma dor de cotovelo...

Roberto hesita e o comediante percebe que o clima não é propício a brincadeiras. O médico vai junto de Raminhos e cumprimenta-o, dirigindo-se depois ao executivo.

Roberto da Luz: Senhor Lousada, surgiu uma situação. Mais uma aliás. Os Parceiros de Guerra deveriam ser agora informados que irá acontecer o combate entre eles e Hunt e Marcos Santos, o que foi confirmado há bocado. Mas eu telefonei a meia dúzia de oficiais e ninguém consegue contactor os campeões. Parece que também não apareceram hoje.

Lousada: Minha nossa senhora, o que se passa com esta gente hoje? E não me venham dizer que sou mau para o negócio, claramente algo não está bem aqui. O problema é que não consigo ver grandes relações entre as ausências. Mas mais cedo ou mais tarde tudo de sabe, o mundo é pequeno.

Roberto: Eles são campeões, senhor executivo. Isto não deverá ser levado de ânimo leve, mas é só a minha opinião e sei que não conta tanto como a sua...

Lousada: Tomara. A tua é igual à minha, tal e qual. Quanta irresponsabilidade.

Nisto o antigo Parceiro de Guerra, Rob Este, entra no escritório de Augusto Lousada. Cumprimenta os três homens presentes na sala e dirige algumas palavras a Lousada.

Rob Este: Senhor Lousada, preciso dum grande favor seu. E não parece que vá ser grande surpresa.

Lousada: Dito dessa forma é elementar... para quando o combate jovem?

Rob Este fica admirado pela perspicácia de Augusto Lousada.

Rob: O mais cedo possível, sinceramente.

Lousada: A minha ideia era marcar um combate entre vocês na Vanguarda trinta, mas eu sinto que tu e o Alberto precisam de brilhar e mais do que tudo preciso que este combate seja decisivo para um de vocês sair por cima. O vencedor precisa de ser claro. Portanto já estive a pensar. Ambos estarão envolvidos no evento principal da Vanguarda trinta e um, fica a promessa e vou inserir o combate nos registos.

Rob Este bate com o punho na mesa.

Rob: É isso!

Lousada: Ambos estarão numa jaula de aço. Prepara-te bem...

Rob Este fica claramente satisfeito e cumprimenta Augusto Lousada antes de sair do escritório, deixando o supervisor geral e António Raminhos numa conversa descontraída.

Lousada: Bem, tempo de voltar para o ringue... porta-te bem. Vamos ver se estas audiências sobem contigo.
avatar
vlladmin

Número de Mensagens : 511
Data de inscrição : 30/08/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VANGUARDA 29# (RTP2) - (29/10/13)

Mensagem por vlladmin em Qua 30 Out 2013, 06:49

Triiiiiiim Triiiiiiiiiiiiiiim.

???: Ainda à espera... mas não por muito tempo...

Triiiiiiim Triiiiiiiiiiiiiiim.

*****

A câmara volta a focar o ringue. O evento principal da noite está a momentos de começar e a plateia vai ao rubro ainda antes do comba ter começado. Não é todos os dias que se tem a honra de ver um combate sem regras num ringue da Vanguarda da Luta Livre, muito menos entre dois grandes lutadores.

Beja: Senhoras e senhores, estamos próximos no final do evento de hoje! Mas antes disso, podemos dizer que guardamos o melhor para o fim. Está marcado um combate hardcore entre o americano Moore SD e o brasileiro António Andrade.

Lousada: Isto vai aquecer. Preparem as pipocas companheiros.

Beja: Esqueci-me completamente! Mas vamos lá, este promete ser o combate da noite e esta rivalidade parece que ainda tem muito a dar ao povo da Vanguarda da Luta Livre. Espera-se obviamente um combate bastante bem disputado.

Luís: #LetsGOMoore vai ser uma tendência mundial. Vamos!

Lousada: Não importa o vencedor. Vai ser giro é ver estes dois a massacarem-se em ringue e quem sabe fora dele. O pessoal pagou bilhete para se entreter e é exatamente isso que vai ter: dois macacos amestrados, como diz o grande Aníbal, a torturarem-se um ao outro. Isto sim, é bom para o negócio. Não os fatos do Brandão.

Luís: Assino por baixo.

*Toca a música American Badass, faixa de Moore SD*

Raquel Jacob: Senhoras e senhores, este combate é o evento principal da noite e está marcado para uma derrota! A caminho do ringue, oriundo de Detroit, EUA e pesando 97kg... "the money maker"... Moore SD!

BUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUH.

Beja: Um ambiente extremamente hostil para Moore SD, outra coisa não se esperava obviamente. Ele tem merecido isto tudo e mais ainda. O ataque a António Andrade foi mesmo muito baixo.

Luís: Fez o que era melhor para ele!

Lousada: Eu não quero dar o braço a torcer, mas tenho que ir um bocado pelo lado do Luís neste campo ó Beja. No fundo cada um faz o que acha melhor para si e para garantir a vitória, nesta modalidade é tudo o que interessa no fundo. Os meios são apenas acessórios para a finalidade.

Beja: Claro, senhor Lousada, sem dúvida. E tem toda a razão, mas há meios e meios. E sou apologista de que o verdadeiro desportista e campeão deverá ser honesto. E eu neste momento considero-o um anti-desportista com estas atitude. É a minha opinião.

Luís: Olha, Beja, a música do Moore SD diz qualquer coisa como vai-te... é isso mesmo.

Moore SD vai concentrado no seu caminho até ao ringue com um olhar focado no que se segue, não ouvindo sequer o que os fãs lhe gritam.

*Toca a música Ain't No Grave, faixa de António Andrade*

Raquel Jacob: E o seu adversário, a caminho do ringue, oriundo de Rio de Janeiro, Brasil e pesando 128kg... António Andrade!

YEAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH.

Beja: Vai ao rubro a plateia, grande demonstração de respeito a António Andrade!

Lousada: É um dos homens da casa, já fez muito por esta companhia e inclusive já foi campeão da Vanguarda. Mas falta-lhe algo, falta-lhe provar que é um jogador de topo a meu ver. E tem aqui um teste difícil para o provar contra um dos melhores de sempre desta federação.

Beja: Um dos mais regulares, sim, impossível discordar. Está cá há 11 meses.

Luís: Muito respeito por este senhor americano, António Andrade irá provar hoje que não passa dum tipo mediano sem grande talento. Teve sorte e um reinado fraco.

Beja: Já que se falou de melão há bocado. Olha aí Barreira!

Lousada: Calma moços... cuidado! Minha nossa!

António Andrade está a meio da rampa, sendo que Moore SD começa a correr na sua direção e ambos começam uma rixa na mesma.

*Soa a campainha*


O árbitro Marcos Mendes sai do ringue para ir acompanhar as incidências deste combate na rampa de acesso ao ringue, nenhum dos lutadores quis esperar para iniciar o combate lá dentro. O americano começa forte com pontapés, joelhadas, murros e até agarrar cabelo. Vale tudo neste evento principal da Vanguarda e o público vai cantando por Andrade, o favorito dos fãs para esta batalha campal! Cabeçada do brasileiro em Moore, de seguida o brasileiro atira o americano para as barreiras de proteção com estrondo! Moore fica queixoso das costas, enquanto o brasileiro vai puxando pelo público neste que promete ser um grande combate. Andrade pega no adversário e começa com uma ofensiva consistente depois dum Suplex em cheio na rampa de acesso ao ringue, é aço puro! O americano fica novamente muito queixoso, enquanto Andrade vai dando pontapés por todo o corpo do adversário caído.

Insistem em não entrar no ringue. Andrade levante Moore pelos cabelos, Marcos Mendes não pode fazer nada visto não haver regras! Andrade continua a agarrá-lo pelos longos cabelos e projeta-o com muita violência contra os degraus que permitem o acesso ao ringue, novamente é aço puro contra as costas humanas. Tamanha violência! O brasileiro pega depois nuns degraus e levanta-os, vai atirá-los à cabeça de Moore, atenção... mas Moore desvia-se no último momento possível para o bem da sua saúde! Andrade podia ter magoado a sério o americano que agora se vai levantando com o apoio das barreiras de segurança. Andrade começa a correr com as degraus nas mãos, Drop Toe Hold por parte de Moore! Andrade tropeça e cai de queixo nos degraus, ficando ele agora bastante queixoso e de costas viradas para cima.

Moore SD está frustrado e vai tomando agora conta dos acontecimentos. Andrade está bastante queixoso, ainda de barriga virada para baixo e com os degraus por baixo da cabeça. Moore coloca-se na borda do ringue, vira-se... Moonsault por cima de Andrade nos degraus de aço! Mais um momento fenomenal no combate, assentamento, 1... 2... Andrade ergue o ombro milagrosamente! O americano empurra o brasileiro até ao ringue, donde entra pela primeira vez. Antes de o acompanhar Moore SD vai para baixo do ringue e tira uma cadeira de aço. Este entra agora no ringue e tem António Andrade já de pé, mas apoiando-se nas cordas. Moore SD toma algum balanço e dá uma cadeirada em António... não! O sul-americano desvia-se no último momento possível, sendo que a cadeirada de Moore bate nas cordas e riposta, atingindo a sua própria cabeça! O público vai gozando com o norte-americano por esta altura... Big Boot por parte de Andrade na cadeira de aço, indo de encontro ao rosto do americano! Pode ser o final, 1... 2... Moore SD ergue o ombro!

Grande combate no Pavilhão da Vanguarda da Luta Livre. António Andrade está à procura de Moore SD, mas este foge! Rebola para fora do ringue e vai com esforço correndo pela rampa de acesso ao ringue! António Andrade está atrás dele e persegue-o durante largos metros! Numa determinada altura ambos começam à pancada num corredor nos bastidores, afugentando todos os lutadores e oficiais próximos da zona. Continuam ao murro e ao pontapé! Big Boot de Andrade em Moore SD! O mesmo abre involuntariamente uma porta enquanto vai em queda! Estamos no parque de estacionamento do pavilhão da Vanguarda da Luta Livre, impressionante! António Andrade pega em Moore SD já extremamente cativado, golpe baixo por parte de Moore de forma inesperada! Vale tudo!

Moore SD respira melhor depois deste golpe muito baixo ao brasileiro e parece ter mais chances de vencer a contenda. Ambos estão a aproximar-se dum carro, é perigoso... António Andrade prende o pescoço do americano! Chokeslam... não! Moore SD vai aplicando cotoveladas na têmpora do brasileiro, evitando este golpe! Superkick de Moore! Joelhada em cheio na cara de António Andrade! Pega no brasileiro, cuidado... Brainbuster em cima dum carro! Está tudo doido!

Assentamento de Moore SD, 1... 2... 3! Vitória para o americano neste combate infernal!


Raquel Jacob: O vencedor deste combate... Moore SD!

A imagem passa para a mesa de comentadores.

Lousada: Fantástico, brutal! Audiências meus senhores! Uma batalha campal entre dois grandes lutadores que acabou de forma igualmente fantástica. Um dos movimentos de marca deste Moore SD a acabar com as contas desta verdadeira batalha em regras.

Luís: Ele provou, ele provou! Provou que é um jogador mediano! Parabéns Andrade!

Beja: Cala-te. Grande demonstração de ambos os lutadores, uma contenda obviamente digna de evento principal. Foi sem dúvida o combate com mais emoção da noite, não obstante a qualidade dos outros três. Aquela ida para o parque de estacionamento foi qualquer coisa, parabéns aos participantes nesta bruta batalha!

Lousada: De facto, enormes. Espero ver mais disto nos próximos tempos. Estou rendido.

A imagem desvanece com um olhar estupefacto de Augusto Lousada, rendido perante o combate hardcore que toda a Vanguarda da Luta Livre acabou de observar.

*****

A imagem muda-se para uma outra zona da arena, uma sala pequena, com uma cortina preta a obstruir o fundo. A câmara foca-se num homem, de estatura média, mas encorpado. Estava de costas e a usar um casado cinzento com um gorro preto na cabeça.

??? Durante o passar dos tempos, entre homens bons e homens maus, sempre houve uma personalidade, um ser que se destacava dos outros. Um chefe, um rei, ditador, monarca, presidente, comandante… líder. Desde os tempos primórdios existiram pessoas que foram feitas para seguir e outra para ser seguida. E eu não gosto de seguir ninguém.

O homem em questão vira-se lentamente para a câmara e vê-se o seu rosto, por fim. Tratava-se de Gabriel Martins, uma das mais recentes aquisições pela VLL, a título de Augusto Lousada.

Gabriel Martins: Ora boa tarde, Vanguarda. Para quem não sabe, o meu nome é Gabriel Martins, conhecido um pouco por todo o globo, não por ser o mais forte ou o mais ágil, mas por ser o mais inteligente, astuto, o melhor naquilo que faço. Coincidência ou não, estando eu numa companhia de wrestling, a força e a agilidade também estão contidas em mim.

Gabriel faz uma pequena pausa…

Gabriel: O wrestling, ao contrário de uma grande maioria de pessoas aqui presentes, nunca foi um fator determinante da minha vida. Nunca precisei de lutar para conseguir objetivos, nunca precisei de me envolver num combate para provar que sou o mais consistente, porque para isso apenas me foram precisas meia dúzia de palavras. Eu era jornalista, considerado um dos melhores da minha geração, com reputação um pouco por toda a parte por chamar a razão, a justiça ao seu devido lugar. Nunca estive ligado a este mundo do espetáculo, mas sempre houve algo que me despertou curiosidade sobre este ramo, as lutas.

Nova pausa de Gabriel, que desta vez parece fazer uma expressão de pensamento bem vincado.

Gabriel: Talvez por eu ser da cidade que viu crescer Portugal, aquela que é o verdadeiro berço da nossa nação, Guimarães, e não esta triste e porca Lisboa. Vim duma terra que durante séculos criou guerreiros para ganharem batalhas, guerras, que criou pessoas qualificadas para elevarem a nossa nação, e para amedrontar as que atrás de nós vinham. Ou então talvez, porque o vosso tão querido Augusto Lousada ter visto algo em mim o que não viu em nenhum de vós, talento. Técnica, agressividade, precisão, são adjectivos que me descrevem não só como lutador, mas como pessoa, tanto dentro ou fora do ringue. Em todo o meu ser não existe uma única falha, algo que em todos voz todos, desde os mais novos aos mais velhos, desde rookies aos campeões, existe. Medo, fobias, pânico, receios todas as pessoas têm as suas fraquezas e eu estou aqui para as descobrir e fazê-las crescer e multiplicar-se. Para mim, chega-me esta pequena apresentação, mas ouvirão mais de mim, brevemente.

A imagem desvanece com Gabriel olhando diretamente para a câmara.

*****

Vídeo gravado no ecrã gigante. Vemos o campeão Supremo da Vanguarda da Luta Livre, Vinícius Nunes, sentado num sofá e inclinado para a frente com o olho para a câmara. O mesmo vai mostrando um olhar extremamente intenso.

Vinícius Nunes: Boa noite Vanguarda, beleza? Daqui o vosso campeão Supremo!

O público vai ao rubro com esta apariçãod de Vinícius Nunes no evento, se bem que por vídeo. Entoam então repetidamente o nome do campeão Supremo.

Vinícius: Prometo ser breve com vocês, até porque não há muito que eu posso dizer nessa altura. Beleza, vocês compreendem. Mas acho essa situação toda estranha...

Pausa do campeão Supremo, retomando depois o discurso.

Vinícius: Verdade é que não quero ofender ninguém, mas essa situação é toda estranha, caras. Um campeão tem que estar pronto para tudo e aqui o vosso brasileiro tem toda noção disso. Porém...

O mesmo para e levanta o título Supremo, o qual coloca no ombro.

Vinícius: Os campeões não são eternos nem imortais. E verdade é que não estava preparado para esse sujeito chamado Aníbal Fragas. Para não dizer um palavrão na televisão público digo que esse cara é muito massa. Tenho que admitir que ele é fantástico.

Pausa breve de Vinícius Nunes, coçando o nariz.

Vinícius: E também se diga que deve ser o adversário mais forte contra qual defendi esse título que vocês veêm em meu ombro nesse momento. Eu respeito o Aníbal porque, apesar de não ser alguém bondoso, faz bem o seu trabalho. Ele é um grande lutador e é só isso que interessa para ele. Eu não posso censurar ele, apesar de ser diferente dele.

Aplausos da plateia após estas últimas declarações.

Vinícius: Portanto eu quero desejar boa sorte a esse próximo campeão Supremo. Farei os possíveis para vencer esse combate, mas é certo que no futuro - mais ou menos próximo - Aníbal Fragas será campeão Supremo. Mas uma coisa eu vos garanto, para o vencer... não será a mim que ele irá derrotar. Eu farei os possíveis para que este próximo embate seja melhor que o anterior. E eu, Vinícius Nunes, continuarei a ser campeão Supremo. Garanto!

Vinícius Nunes ergue o título em sua casa, até a imagem desvanecer.

*****

A imagem foca o ringue da Vanguarda da Luta Livre, enquanto a imagem teve nos bastidores, António Raminhos, o convidado especial deste evento, Augusto Lousada, Miriam Guerra, rececionista da VLL que esteve com o ator e comediante durante o dia, Eduardo Santos, antigo lutador e agora Road Agent da companhia, Roy Delgado, João Castro e Joaquim Vale, membros da ANW, encontram-se no ringue.

O público parece expectante com todo o acontecimento, durante a semana muito se falou na presença de António Raminhos neste evento.


Lousada: Como já devem perceber este ringue encontra-se ocupado com várias pessoas do comité da Vanguarda da Luta Livre e também da Academia Nacional de Wrestling. Para além disso temos connosco o ilustre António Raminhos.

O mesmo esboça um sorriso enquanto a imagem o foca.

Lousada: Não… O mesmo não será lutador da Vanguarda da Luta Livre! No entanto terá um papel ativo na semana que vem, no Vanguarda número trinta.

António Raminhos: Então pessoal da Vanguarda!

O público vai ao rubro.

Lousada: Na próxima semana teremos um excelente confronto entre Aníbal Fragas e Vinícius Nunes e nada melhor que utilizar uma cara bem conhecida da RTP como árbitro especial! Isso mesmo pessoal! António Raminhos será o árbitro do combate do título Supremo!

Beja: Um pouco à imagem do que já aconteceu com o Nuno Lopes.

Lousada: Eu como produtor executivo e novo xerife da Vanguarda afirmo que a partir deste momento a relação entre o canal e a companhia será cada vez maior!

O público parece confuso e não sabe se deve ou não apoiar as declarações de Augusto Lousada.

*Toca a música da Vanguarda*

Luís: Mas o que é que temos aqui?

Beja: Não sei Luís, mas parece-me que Augusto Lousada não se encontra muito bem disposto.

Lousada: Deixem-se de brincadeiras aí na parte da produção!

A imagem deixa de focar o ringue para focar o stage onde aparece Lucas Brandão com um microfone na mão.

Lucas Brandão: Parabéns Lousada. Desejo-te felicidades no teu futuro, ainda não tinha tido tempo para te congratular tanto pessoalmente como publicamente.

Lousada: Obrigado, sem ressentimentos certo?!

Augusto Lousada parece querer manipular Lucas Brandão com as suas palavras num tom irónico.

Lucas: Ora essa… Mas queres saber a razão pela qual eu não tive tempo para te dar os parabéns?

Lousada: Vá diz lá rápido… Que não temos muito tempo até ao fim do programa e ainda há umas coisas a dizer.

Lucas: Tudo a seu tempo.

Lucas desce a rampa calmamente.

Beja: Parece que vamos ter aqui um confronto interessante…

Raminhos diz algo ao ouvido de Lousada.

Lucas: Vocês ouviram os rumores e sim é verdade… Michel-Baptiste Bangalter falou durante toda esta semana com um agente desportivo bastante importante. Eu estava ocupado com isso. A manter-me longe de toda a comunicação social. Porque tu podes mandar na VLL, mas por alguma razão o Delmar, o Eustass, o Arsénio e o Bangalter não apareceram no show hoje.

WHAT?

Lucas: Neste momento esses lutadores encontram-se com um fundo privado na sua gestão. E dessa foram terão os seus valores preservados.

*Toca a música Keep Me There, faixa dos DeLuxe SAD*

Lousada: Mas o que vem a ser isto?

Os quatro lutadores mencionados por Lucas Brandão aparecem no stage todos eles de fato de treino e bastante vaiados pelo público.

Lucas: Estes são os quatro lutadores mais valiosos que tu tens Lousada e eu sou o porta voz deles dentro da Vanguarda da Luta Livre. São eles que irão colocar dinheiro na tua alçada. Terás o combate que queres na semana passada. Com esse marmanjo a árbitro especial, mas as coisas não vão ser como tu queres.

A imagem volta a focar o stage, onde os quatro lutadores sorriem. Eustass e Delmar trazem consigo os títulos de Parceiros de Guerra.

Lucas: Sem mais nada a dizer… aproveita, enquanto dura…

Lucas Brandão atira o microfone para o chão e começa aos saltos gozando com Lousada enquanto sobe a rampa.

Luís: Bem e que anuncio… Parece que Michel-Baptiste Bangalter não vai deixar os voos mais altos. E quem diz Bangalter fala de Lucas e principalmente dos pupilos de Lucas Delmar e Eustass!

Beja: E o Arsénio?

Luís: Penso que irá ganhar uma força enorme agora! Adoro esta junção acredita! Estou é chocado! Quem diria?!

Beja: Quem parece não gostar é Lousada que se vira para o seu staff com cara de poucos amigos. Já Raminhos sorri parece que ele sim está pronto para o Vanguarda número 30.

Luís: Sem dúvida que esse vai ser um evento enorme. Quero ver o Vinícius finalmente a ficar sem o título!

A imagem foca o stage novamente com Lucas Brandão a levantar o braço de Bangalter.

Beja: Amigos por hoje é tudo, não percam a emissão especial que teremos na próxima semana! O título Supremo, o título da Vanguarda e os Parceiros de Guerra em jogo numa emissão sem precedentes aqui na RTP2! Até lá!

A imagem desvanece pela última vez.
avatar
vlladmin

Número de Mensagens : 511
Data de inscrição : 30/08/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: VANGUARDA 29# (RTP2) - (29/10/13)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum